domingo, 15 de fevereiro de 2009

Minha Viagem a Maceió...


Na sexta conversando com um advogado na salinha dos alvarás do Banco do Brasil ele me perguntou sobre minhas férias e eu contei sobre estar voltando de Maceió. De pronto ele me diz que ODIOU a cidade quando esteve lá há 2 anos atrás.

Fiquei surpresa e disse ter gostado muito. Ele saiu falando sem parar da sujeira, da desorganização, da pobreza, etc, etc. Juro, ele deve ter falando por 5 minutos sem me dar chance nem de dizer um "não vi isso".

Quando finalmente o douto colega parou de falar eu perguntei: Mas em que praia o senhor ficou? que lugares conheceu?

Então ele me diz que foi para um congresso da OAB e que foi em um dia e voltou no outro, que não lembra o nome da praia que ficou, mas que deu uma caminhada "por ali no centro" e que formou sua opinião.

Ah povo, me poupe né. Eu fiquei uma semana lá e não posso dizer que CONHEÇO a cidade.

Sempre que viajo me interesso muito em conversar com as pessoas que moram no lugar, saber a opinião delas sobre as coisas, o modo como vivem, etc. Amado marido então, adora interrogar taxistas! Mas mesmo assim, conhecer, conhecer não dá né, não em tão pouco tempo.

Uma surpresa super positiva, aliás, foram os taxistas da cidade, sem exceção, todos conhecem política, economia e os principais problemas da cidade. Imaginamos que falar mal de Collor lá era crime punido com "pexeira nos rins", mas que nada, o povo tem muita mágoa dele e se sente muito usado, a maioria das pessoas que falamos sobre o assunto dizem que Collor nunca fez nada por Alagoas.

A minha impressão da cidade foi ótima. Achei o povo super hospitaleiro e educado. Apesar de termos sido alertados sobre violência e assalto (é Brasil il il), via pessoas contando dinheiro na rua (não turistas) e vi uma dona de loja, sentada no chão de sua loja, 22 horas, de portas abertas contando o dinheiro do caixa em plena beira mar da praia de pajuçara. Questionada ela disse que ali era tranquilo.

Viajamos pela CVC e fiquei muito contente com o serviço prestado. A Juliane da CVC de Canoas/RS foi uma querida que procurou o melhor pacote/preço e foi incansável até encontrar algo que nós concordássemos.

Chegando lá, cansados da viagem, optamos por dar uma passeio na orla da Praia da Ponta Verde, onde ficamos hospedados, no maravilhoso hotel Maceió Mar. (http://www.maceiomarhotel.com.br). O hotel fica na beira mar, todos os quartos são de frente, com aquela vista que postei ali embaixo.

- Litoral Sul -

PRAIA DO FRANCÊS (primeiro dia)

No dia seguinte, já estava incluído no nosso pacote o tradicional City Tur pela cidade com parada na Praia do Francês. Por pesquisas na net estava preocupada com essa ida a Praia do Francês, li que, por se tratar de uma praia pública o número de vendedores ambulantes era insuportável e que poderíamos nos aborrecer com isso.

Realmente a praia tem bastante ambulantes, mas TODOS educados e no primeiro "não obrigada" se retiram educadamente, alguns desejando um bom dia, outros com um "fica pra próxima", ou ainda "se mudar de idéia dona, estarei por aí". Fomos muito bem tratados nessa praia, o atendimento a beira mar foi ótimo, reservamos o almoço assim que chegamos e na hora combinada estava servido (aquele espeto de camarão/peixe/lagosta) que postei ali embaixo, servido com arroz, batata e salada. O rstaurante tem banheiro limpo (com alguém limpando sempre), ducha e garçons suficientes que te atendem a beira mar, além de oferecer guarda sol, cadeiras e mesinhas sem cobrar por isso. Atendimento ótimo e voltaria nessa praia com certeza. (Fui em dia de semana e cheguei cedo, dizem que finais de semana fica muito lotada)

O mar é calmo e a água limpa. E tem uma rua com muitas lojinhas de artesanato.


Meu pai e Natinha.


Optamos por comprar o pacote de passeios da CVC, eu e amado marido não somos do tipo aventureiros, além de tudo viajamos com criança, então nada mais comôdo que um guia e transporte que te leva e te trás dos lugares todos os dias.

O pacote da CVC para dois, Natinha não pagou, (outra surpresa positiva, nem restaurantes, nem transporte, nem tampouco teatro é cobrado para crianças), saiu por R$ 300,00. Existe a opção de escolher um ou outro passeio.

FOZ DO SÃO FRANCISCO (segundo dia)

Esse passeio vale muito para conhecer a Foz do Rio São Francisco, por sua história e importância, é uma viagem de barco que dura aproximadamente uma hora, saiu por R$ 36,00 (no pacote CVC) por pessoa com almoço incluído e frutinhas no barco. O passeio e lindo, paisagens inesquecíveis e uma guia mirim que vai contando as estórias do rio. Na nossa parada podemos visualizar o encontro do mar e do rio e as dunas móveis de Alagoas. Aí é preciso se preparar, porque a areia é quente demais, para subir nas dunas queimamos os pés mesmo calçando chinelos. Nesse local temos de um lado o banho de rio e do outro o banho de mar.

Navegando...


Visão da subida das dunas...


Rio...

Logo que chegamos já avistamos umas banquinhas de vendedores, maioria de cocadas que, segundo a guia são doceiras de Recife, que aguardam os turistas com suas cocadas
de maracujá, leite condensado, abacaxi, coco queimado. São cocadas bem diferentes das que eu conheço, sào pedaços grandes de coco e não são tão açucaradas como as nossas aqui, além de serem enormes. Nesse local também tem umas senhoras que vendem bolsas de praia feitas em palha, LINDAS e baratas, 10 e 15 reais, eu não comprei por acreditar que acharia em outros lugares e não encontrei mais. Portanto, comprem por lá mesmo.

Banquinha de cocadas...



-> Continua...

3 comentários:

Lara disse...

Oi... Estou adorando o relato, estou pensando em ir para Maceió em Junho ou Julho.... Beijão!!!!

Wlady disse...

tem um selinho pra vc no meu blog, passa lá!
bj

Andrea Nunes disse...

Lara, vá mesmo, estou devagar nas postagens, mas eu chego lá. :o)

wlady, obrigada querida, vou passar lá pra ver.

beijoca