terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Colocando a casa em ordem:

Dia 29/12/2010

Aniversário da minha gatinha linda!


Oito anos filha!




Tu foste tão esperada, tão desejada, tão amada mesmo antes de existir.

E parece que foi ontem que fui pro hospital. Ansiosa, preocupada mas imensamente feliz por saber que dentro de algumas horas tu estaria nos meus braços. Infelizmente as coisas por lá não saíram exatamente assim e demorou um pouco mais pra gente ficar juntinha. Tu chegou dando um susto na mamãe e indo parar no cti. Mas tu tirou de letra filhota e pra compensar foi uma criança que quase nunca adoeceu. Tirando a sinusite que teimava em aparecer e as crises de dor do crescimento tu sempre esteve bem e saudável.

Minha menina linda, inteligente e precoce. Largou as bonecas cedo demais pro gosto da mamãe que quer prolongar a tua infância o máximo possível, porque filha, a vida adulta é longa e muito cansativa às vezes, então tu deves curtir essa fase o máximo que puder.

Sabe filha, eu não meço esforços pra te fazer feliz e às vezes me pego pensando se dei mesmo o meu melhor. Mas eu sou humana sabe filha e devo errar pra caramba, e dar uns acertos de vez em quando e vou estar sempre aqui, acertando, errando, mas sempre te esperando com um colo quentinho e um pitaco de mãe pra te dar.

Tu está se transformando em um serzinho muito do bem e criando asas filha, confesso que isso me assusta um pouco, porque mãe tu sabe, quer o filho sempre por perto e eu não sou diferente, te ensino a voar, mas não quero que tu voe pra longe de mim não.

Me aperta o coração quando na tua inocência infantil tu diz "vou morar no Londres" e fico morrendo de saudades antecipadas da tua ausência anunciada.

Ah filha, eu te amo tanto e me orgulho tanto da mocinha que tu está te transformando, mas não deixo de ser a mãe loucaciumentadoente que te quer só pra mim, exatamente como era no principio, quando éramos só nós duas e nosso amor.

Confesso que preciso ainda aprender a conviver com o fato de não ser mais o centro do teu mundinho porque isso tudo está passando rápido demais. Oito anos filha. Terceiro ano. Tu já aprendeu a tabuada, está aprendendo a ver as horas!!!! Ontem tu era apenas uma gordinha esfomeada querendo mamar no meu peito.

Ai que medo.

Ai que felicidade.

Acho que ser mãe é isso né, essa mistura louca de sentimentos. Um amor tão grande que não cabe na gente.

Parabéns filha. Te amo sempre e sempre.

* Claro que eu fiz a festa na piscina que ela queria, e foi tão bom, mas tão bom que se ela quiser encaro ano que vem de novo e de novo... Vieram 19 crianças e foram uns fofos e queridos.
* Claaaro que o vô Tarso deu a guitarra que ela tanto queria.
* Claaaaaaro que eu ainda não fiz fotos do convite e das lembrancinhas que ficaram muito fofas. (coloco depois)

*********************************************************************************************

Festa de Natal

Então que de novo o Natal foi aqui em casa e eu encarei uma festa pra mais de 20 pessoas mais uma vez. Como minha sogra estava aqui em casa e ficou com a Andressa no colo por bastante tempo, consegui organizar tudo e ainda deu tempo pra manicure, pedicure e cabelereira. Não fiquei estressada antes, o que é um milagre, mas fiquei MUITO estressada durante, o que não é habitual, já que costumo ligar o foda-se e curtir as festas que faço aqui em casa.


Primeiro porque a festa era na rua, na área da piscina, aluguei mesas e cadeiras e deixei tudo bem bonitinho. Marido ajudou na limpeza e com as mesas, meu irmão com as luzes, eu montei o pinheiro e cuidei da decoração junto com a minha empregada que sempre me dá uma força.

Ai choveu.

Uma pancadona, pouco antes de eu servir o jantar. Foi um corre corre com as mesas para o quiosque e para debaixo das varandas.


Estragou tudo e eu fiquei muito aborrecida.


Segundo porque a minha condição para que a festa fosse aqui em casa era que seria na área da piscina e cada um traria um prato, ou seja, chegou, colocou o seu prato na mesa e sentou lá pra curtir a festa. A comida tinha que vir pronta e no prato de servir, pra não ter sujeira extra na minha cozinha e não ficarem me chamando pra pegar louças. Pois não rolou. O povo se enfiou na minha cozinha de dentro de casa (tenho pia, bancadas e geladeira na área da piscina) e fizeram a maior sujeira. Quando eu vi 1/3 do pacote de batata palha e mostarda espalhada pelo chão eu fui pro meu quarto chorar um pouquinho de raiva e de decepção.


Fiquei lá trancada por muito tempo, tentando não me deixar abalar e me acalmando pra não estragar a festa, aí quando saio vejo que mesmo eu tendo banheiro na rua o povo resolveu usar meu lavabo de dentro de casa também. Chuva + gente pisoteando tudo = porcelanato de dentro de casa imundo!


Sei lá o que deu na cabeça da minha amada família. Isso que a maioria do povo nem bebe, imagina se bebessem. E pensar que fiz meu pai renovar a pintura do lavabo da rua justamente pra esta festa... e corri pra colocar o espelho novo...


No dia fiquei muito brava e jurei que Natal aqui em casa nunca mais. Agora a raiva passou.

No mais a Natália estava muito feliz e amado marido bem feliz também, foram exatos 19 Natais longe da mãe dele e desta vez ela estava aqui conosco. Estavámos perto das pessoas que amamos e no fim é isso que importa. A Andressa dormiu quase o tempo todo, chorou o resto do tempo.

Eu passei o dia 25 limpando a casa.











Ano que vem passo a chave em tudo.

Então eu fiz 37 anos dia 23/12

e ganhei meu ano quando meu primo Jo, que está morando na Austrália tem 4 anos veio passar o Natal conosco e disse que eu parecia uma teenager.

Tem noção do que é alguém dizer que tu parece uma adolescente exatamente um dia antes de tu completar horríveis 37 anos!?

Eu achava minha mãe uma velha quando ela tinha 37 anos e me sinto uma guria. Como pode? Realmente a coisa muda de figura quando se está vivendo na pele. A Nati me acha uma velha, lógico! :) É a lei da vida.

Ps.: Claaaaaaaaaro que meu primo achou isso porque me pegou em casa de surpresa, parecendo uma doida, de filha pendurada no colo, de rabinho de cavalo nos cabelos, de aparelho nos dentes, de vestidinho e de pés descalços...

Ele quase sempre me via fantasiada de advogada :)

domingo, 26 de dezembro de 2010

Apresentação de violão da Nati

Então que para encerrar o ano o professor de violão organizou mais uma apresentação para os pais e mães dos pequenos poderem babar nas crias mais uma vez.

Carregamos a Andressa junto, claro. Continuo convicta de que ela precisa se enquadrar na nossa rotina de vida. Tudo beleza e mesmo depois deste mês maluco e cheio de festas ela continua dormindo a noite inteira.

Coloquei o papai para filmar e me arrependi imediatamente após assistir um segundo do vídeo.

Mas tá valendo. Fica o registro.

video

sábado, 25 de dezembro de 2010

tô só o pó...

agora falta a festa de Ano Novo e pronto.acabou. Só as férias que serão em uma praia calma e tranquila.

Eu preciso tanto de silêncio por uns dias.

já volto com fotinhos.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Sobre o terceiro filho

(que se fosse acontecer eu queria que fosse filha).

Pois então, tenho uma cunhada que optou em não ter filhos. Ela tem um casamento feliz, vive bem e eles não tiveram filhos. Ela nunca me disse qual motivo para isso, disse que não queriam, que não se imaginava mãe. Eu pessoalmente acho que ela seria uma mãe maravilhosa. Confesso que logo que entrei para família do marido isso me chocou um pouco, (lá se vão 20 anos). Com 17 anos a gente tem tantas verdades absolutas e tão pouca experiência de vida, que o meu desejo enorme de ser mãe não compreendia o dela de não ser. Naquela época eu achava que um dia ela mudaria de idéia.

Então que o tempo passou e eles não tiveram filhos. E eu sei o quanto isso ainda choca algumas pessoas. Sim, isso choca. As pessoas tem dificuldades em entender o diferente, e mesmo aquelas que tem muito mais de 17 anos. Como se fossemos soldadinhos treinados para marchar juntos.

Quando uma pessoa faz uma escolha para a sua vida ela precisa entender que aquilo é o melhor para ela naquele momento e necessariamente não significa que será o melhor para o outro.

Mas as pessoas não entendem. A grande maioria das pessoas passa a vida tentando impor as suas verdades absolutas para cima dos outros.

E sim, eu tenho uma filha prestes a completar 8 anos e uma bebezinha em casa. Tenho uma quase pré adolescente e uma bebezinha que até ontem era uma recém nascida.

E SIM, EU TERIA UM TERCEIRO FILHO.

Sou enlouquecidamente apaixonada por ser mãe. Adoro minha vida em família. Amo demais as minhas filhas.

Nunca esqueço do dia em que um amigo me perguntou onde eu imaginava estar em dez anos. Eu não era casada, estava vivendo uma fase bem díficil do meu namoro com amado marido, na época ex noivo e eu só conseguia me ver em uma casa com meu marido e futuros filhos em um domingo de sol vivendo dias de um cotidiano familiar.

Eu não desejava viagens, riqueza ou luxo. Eu não desejava ser poderosa e ter um alto cargo em uma grande empresa. Eu só desejava uma familia feliz.

E eu consegui, eu tenho a minha família feliz de comercial de margarina e um terceiro ou um quarto filho se encaixariam perfeitamente nos meus sonhos.

Não, eu não os terei. Por que?

Porque filho é caro. Sei que posso dar uma vida confortável para as duas filhas que tenho, que posso pagar uma boa escola, proporcinar momentos de lazer, de cultura e de algumas bobagenzinhas desnecessárias também. Sei que dou conta das duas e do meu trabalho sem privar uma coisa nem outra.

Um terceiro filho pesaria demais no nosso orçamento. Agora se eu não precisasse mais trabalhar e tivesse mais grana eu e amado marido teríamos mais filhos sim e as pessoas se chocam ao ouvir isso.

Me sinto como a minha cunhada deve se sentir ao falar da sua opção de não ter filhos, quase um ET. Se instituiu que a classe média tem um ou no máximo dois filhos e qualquer decisão fora disso deve ser recriminada e pior, o recriminador em questão se sente no direito de te fazer mudar de idéia a qualquer custo.

Eu já não lido bem com as minhas verdades absolutas, ter que engolir as verdades absolutas dos outros não dá mesmo!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Só pra constar

eu odeio gente mal agradecida e egoísta,




e piora muito quando se é obrigada a conviver esses tipos por conta de laços familiares.

sábado, 18 de dezembro de 2010

3 meses de puro charme

e uma mãe completamente apaixonada!

Pois foi dia 16 de dezembro. Minha godinha completou seus 3 meses de vida fora da barriga da mamãe. Como a correria estava grande, o bolo de comemoração não saiu de novo, para frustração da Natália. Mas pra compensar teve muito beijo, muito abraço, muitos amassos na minha gostosa de coxas grossas.

Ela está mais esperta, interagindo mais. Fixa os olhos em mim por vários minutos, principalmente quando está mamando ou quando está com soninho. Por várias vezes fica me olhando fixo até adormecer.

É muito risonha e conversa bastante. Já tenta se virar e consegue virar todo corpinho ficando apenas com o bracinho preso, o que ainda a impede de rolar. Ama as mãozinhas e vira e mexe gospe o bico longe para poder colocá-las na boca.

Mama muito, aliás adora mamar.

Tem tomado 6 mamadeiras por dia, sendo 4 de 120 ml e (depois da última consulta)2 de 150 ml, por dia.

Pesa 5.800 k e está com 58 cm. Tendo aumentado apenas 500 gr neste mês e crescido 2 cm. A pediatra me orientou a aumentar um pouco a mamadeira. O ganho de peso mais baixo se deve ao fato de meu leite ter secado definitivamente (obrigada por todas as dicas, mas quem me acompanha sabe que vim tentando desde o primeiro mês. agora foi a minha hora de jogar a toalha. chega de me torturar) e ela não estar mais mamando nadinha no peito.

É muito brava quando está com fome. De um segundo para outro sai de um sorriso gostoso para gritos furiosos quando resolve mamar. Essa semana teve sua primeira lágrima rolada no rostinho. (Ah filha ainda serão muitas e mamãe só deseja poder estar do teu lado nestes momento)

Dorme a noite inteira e não mama mais durante a madrugada(com raras exceções). Última mamada às 22:30 e depois só entre 6 e 7 hs da manhã, quando mama e dorme até às 9 hs.

Toma banho de chuveiro com o papai todos os dias antes da última mamada da noite.

Toma banho de banheira ou de balde com a mamãe durante as tardes calorentas que pedem um banho extra por dia.

Adora massagem com talco líquido. Ainda não curte muito os brinquedos.

Tosse cada vez mais para chamar a atenção, principalmente quando quer colo ou está com alguém e escuta minha voz ou me vê. Se não é atendida a tosse evolui para choro.

É enlouquecida de amor pela irmã, e parece que tem vontade de comer as buchechas dela.


O que temos usado:
- fraldas Pamper's tamanho P, a básica (pacote vermelho) está ficando pequena e a Total Confort (pacote verde) é ideal;
- lenços umedecidos Pamper´s e Turma da Mônica (prefiro a maciez da Turma da Mônica, mesmo às vezes se rasgando ao tirarmos do pacote);
- bepantol para quando ela fica vermelhinha (usei umas 5 vezes até hoje);
- Mamadeira boca larga de plástico Dr. Brows (de 120 e de 240 ml), bico nível 2 (troquei hoje e ela está um pouco magoada com isso, mama e chora de vez em quando);
- Leite Nan 1;
- Chupeta Avent Ortodôntica Simétrica de Silicone 0-6 meses e Chupeta Mam Mini Night, que brilha no escuro (só em casa porque não comprei o prendedor de chupeta específico ainda);
- talco líquido Amilia (para depois do banho, aproveito para fazer massagem com ele);
- shampoo e sabonete johnson's;
- vaselina a 1% para tirar as casquinhas da cabeça (30 minutos antes do banho, o cabelo fica um sebo só, mas sai todas casquinhas);
- Nistatina para assadura do pescoço (sim minha gordinha assa no pescocinho gordo da mamãe).

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Apresentação de Ballet Corpus 2010

Então que minha gatinha dança ballet desde os 2 anos de idade. Sempre na mesma escola, com a professora que também se chama Natália. Ela AMA dançar, passa o ano inteiro esperando ansiosamente a apresentação de final de ano que sempre acontece em dezembro.

Esse ano, por muito azar aconteceu no dia 10 de dezembro, mesmo dia da apresentação de Natal do colégio dela e ela acabou optando por não ir no colégio, mas ir dançar.

O Espetáculo como sempre estava lindo e minha lindinha já não é mais um bebê, já dança toda compenetrada e séria, com plena consciência da importância daquele momento, mesmo minha irmã fazendo vários sinais para ela, enquanto ela dançava, ela mal olhava para o lado em que estávamos sentados.

Eu morro de orgulho e espero mesmo que ela continue com esse amor pela dança, que faz muito bem pra alma e pro corpo.






* Aqui já tinha perdido a postura bailarina e voltado a ser criança que é, catando papel picado no chão logo após o espetáculo.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

tô só o pó. já já eu volto pra contar da correria de sexta até hoje.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Meu leite secou.

Assim, do dia pra noite. Eu vinha em uma luta ferrenha. Tive alguns sucessos e tem menos de duas semanas eu consegui um dia inteirinho com apenas 1 mamadeira de Nan, o resto todo foi nas peitolas mesmo.

E eu estava tão feliz. Meu desejo de aleitamento materno exclusivo até os seis meses ficou mais real naquele dia. Eu achei que estava conseguindo. Que alguma das minhas tantas tentativas tinha finalmente dado certo.

De segunda para terça não acordei mais com os peitos doendo a noite. Assim, do nada, simplesmente não aconteceu e daí veio em uma queda de quantidade visível.

Hoje eu simplesmente não consegui amamentar a minha filha. Ela sugava por 30 segundos e soltava furiosa, eu forcei, tentei tirar o leite manualmente e não consegui mais que duas ou três gotinhas.

Minha sogra, que está passando uns dias aqui em casa porque o apartamento dela está em obra, reparou e me disse que me acalmasse e tentasse mais tarde. Fiz várias tentativas e simplesmente não tenho mais leite. Já liguei pra minha irmã pedindo pra ela me trazer o remédio Equilid, que vou tomar e pronto, apesar da alergia horrível que ele me deu na última tentativa. Sim eu sei... Mas não me conformo, não consigo me dar por vencida.

Eu não sei colocar em palavras o que isso significa para mim. Não consigo expressar em letrinhas a tristeza que eu tô sentindo.

Só consigo pensar que nunca mais vou ter o prazer de amamentar, de sentir minha filha aninhada em meus braços com os olhinhos fixos nos meus, recebendo de mim todo alimento que ela precisa.

A louca dos sorvetes

contei que eu comprei uma sorveteira?

não?

então eu comprei, porque amado marido é viciado em sorvete. eu raramente experimento algum. confesso que não sou fã de nada muito gelado.

pensando em sorvetes mais saudáveis, acho que fiz uma boa compra. pensando pelo lado que eu cada vez mais e mais arrumo mais coisas pra fazer, fiz uma péssima compra.

já fiz 3 sorvetes e fico ali feito boba olhando a máquina funcionar. o marido adorou. coloco as receitas na seqüência, ou não.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Toma III

claaaaaaaaro que eu não ia chegar aos 37 anos sem passar pelo inferno astral né. porque a desgraça sempre tem que ser completa.

* A Andressa está com conjuntivite. Sim, aos dois meses de idade.
* Clonaram um dos meus cartões de crédito. A compra que eu tinha feito foi recusada pela instituição financeira, mas óbvio que as diversas compras dos bandidos foram aceitas né, tem alguém cheio de sapatos novos, que almoçou em um bom restaurante e a está altura está viajando por aí.

Rá.

Agora só falta chover no sábado. Não, não pode chover no sábado. Não pode chover no sábado. Não pode chover no sábado. Não pode chover no sábado.

Repitam comigo. Não pode chover no sábado!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Explicando a religião

hoje na mesa, no horário de almoço:

...
amado marido - mas ele era judeu.
sogra - não, ele é evangélico.
amado marido - esse povo cada hora é uma coisa.
nati - o que eu sou pai?
amado marido - tu é católica filha.
nati - o que é ser católica?
amado marido - tu se batizou na igreja católica, porque nós acreditamos em Jesus, que é o filho de Deus e blá blá blá...
sogra - é católica como teu pai e tua mãe.
eu - mania que o povo tem de ficar dando nome pras coisas. Filha não importa a religião, o Deus é o mesmo, mas cada religião acredita que o Deus é de um jeito, mas ele é só um.
amado marido - é complicado explicar isso agora, tu vai fazer catequese quando tiver 9 anos.
eu - se ela quiser fazer.
amado marido - ela vai sim.
nati - mas se o Deus é só um porque tem várias religiões?
eu - o Deus é sempre o mesmo, o que muda é o interesse dos homens
nati - entendi mãe, cada homem da igreja quer que a gente acredite que o Deus dele é o melhor, só que não importa isso né, o que importa é o Deus.

domingo, 5 de dezembro de 2010

No meio da tempestade, um suspiro,

curtinho, porque né, é dezembro.

Já fiz a viagem rápida que marido queria fazer. Morri de medo de passar horas no carro com a Andressa, mas foi super tranquilo e só vou contar isso depois.

A festa de aniversário da Nati vai ser sábado, e esse ano ela mudou completamente o esquema e no começo vetei a idéia dela. Me arrependi depois e voltei atrás. O aniversário dela é dia 29 de dezembro, data impraticável. Sempre faço a festa dela no primeiro ou segundo final de semana de dezembro e sempre faço em uma casa de festas, que é bem mais prático pra mim, e grande o suficiente pra receber os amigos dela, alguns amigos meus e a família. A festa acaba e eu volto pra casa acabada mas a minha casa está limpinha e organizada.

Então ela resolve fazer uma festa na piscina AQUI EM CASA! Surtei né. São 30 crianças. Sim, são 30 pestinhas, quer dizer, crianças fofas e meigas na faixa dos 7/8anos na minha casa. Onde eu vou enfiar os parentes?

Aí que refletindo melhor, vetei foi os adultos e não o desejo da minha filha. Ela tem sete anos, e está na fase de esperar ansiosa por suas festas de aniversário. Porque a festa é dela e ela quer mais é curtir com os amigos dela e era isso. Adultos só os com filhos pequenos, com uma outra excessão. Se bem que duvido que alguém vai querer se enfiar aqui em casa com esse bando de anjinhos correndo alucinados pela casa.

Então ficamos assim, se sábado chover eu me jogo embaixo de um caminhão.

.
.
.
.
.
.
.
ou afogo um por um dos anjos na piscina!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Dezembro. Tudo ao mesmo tempo agora.

Estou cheia de coisas para resolver. Apresentação de dança da Nati dia 10. Festa de aniversário dela dia 11. Festa da Gra dia 12. Ingressos já na gaveta para o espetáculo do Grupo Tholl, também dia 12. Dia 15 apresentação de violão da Nati. A festa da escola que perderemos esse ano e eu estou triste, mas é no mesmo dia da apresentação de dança e ela ensaiou o ano inteiro para isso. E já já é Natal e eu tenho uma festa pra organizar...

Uma viagem rápida que marido ainda está me convencendo a fazer...

Dezembro chegou. É amanhã. Não espere demais de mim até Janeiro chegar. Não me peça favores. Não espere que eu te visite, que eu te convite para jantar. Dezembro me atropela, me enlouque e me torna mais e mais feliz.

* esqueci de encomendar os salgadinhos pra festa da Nati, estou ligando desesperadamente para a senhora que eu sempre encomendo e ela não me atende! Ai!

sábado, 27 de novembro de 2010

O que muda no segundo filho...

a gente!

simples assim, porque bebê vai ser sempre bebê, com as coisiquinhas boas e as chatinhas de bebezinhos. Mas óóóóó, a gente muda bastante no segundinho, no nosso caso, segundinha.

A primeira mudança gritante e perceptível pra todo mundo que está em volta de mim, me dei conta hoje, quando meu pai comentou que contou para a esposa dele que eu não quero que a Andressa cresça. Sim, eu devo ficar repetindo isso pra ela o tempo todo, inclusive na frente dos outros. Diferente da Nati, que eu queria viver tudo logo, eu era ansiosa pra viver todas as fases da maternidade. Ficava pensando em quando ela ia tomar suquinho, ficava doida pra fazer sopinhas pra ela, pra vê-la caminhando, etc. Agora tô mais tranquila, a gente já sabe o que vem, e principalmente, sei que a Andressa é minha última bebezinha por aqui e quero que o tempo não passe, não quero perder minha bebê. Fico me perguntando o que eu vou fazer da minha vida quando elas crescerem e eu não tiver mais minhas bebês em casa. Sofro.

E o cheirinho de bebê em casa? Acreditem, mesmo usando os mesmos produtinhos o cheirinho some, assim, do dia pra noite! E a gente faz o que?! Fica cheirando o pote do shampoo e chorando de saudades?!

Já avisei as duas que morar fora é proibido nessa família. E a malvada da Nati com mania de independência enche a boca pra me dizer que vai morar no Londres. (culpa da minha irmã que quase mata minha mãe quando fez isso)

A outra mudança que percebo em mim tem relação com as verdades absolutas que citei no post anterior. Eu seguia vários manuais desses sobre bebês. A melhor hora de dar banho, de amamentar, de horários, de quando colocar pra dormir no quarto dela, de deixar a luz acesa ou apagada, de amamentação de tantas em tantas horas, de rotinas e mais rotinas. Eu vivia neurótica quando minha casa estava lotada de gente e eu não podia amamentar no silêncio com musiquinha relaxante tocando a meia luz. E eu sofria. Ah, uma vez li em algum desses livros de auto ajuda que para o bebê ser feliz e saudável emocionalmente ele precisava receber, não lembro quantos beijos por dia, e eu achei aquela descoberta incrível. Louca total né. Só faltava anotar os horários que tinha beijado a cria.

Como se para ser boa mãe fosse preciso seguir um manual.

Agora nós praticamente não temos regras e nem rotina. Explico, com uma filha mais velha, com suas atividades e necessidades a coisa aperta e eu não estou 100% do dia a disposição da Andressa. Preciso me dividir e principalmente improvisar.

Não da pra eu agendar massagem na Andressa todo dia as 15 hs. Porque justamente nesse horário a Natinha pode estar no meio de uma tarefa de casa difícil, podemos estar no carro entre a aula de ballet e a aula de violão, ou simplesmente podemos estar assistindo televisão abraçadinhas. Opa, podemos estar no meio de uma conversa séria sobre algo que ela fez e eu não gostei. Aí a rotina já era.

Ou pode ser um domingo que fizemos churrasco e ficamos na área da piscina o dia todo, com a pequena junto, claro, e muitas visitas, entre elas 5 crianças felizes e gritantes por perto.

Tenho procurado manter a rotina da noite. Ela toma banho às 21 hs (no chuveiro com o papai), eu visto o pijaminha nela, dou mama, dou beijo de boa noite e entre 22 e 22:30 hs coloco ela no carrinho para dormir. E sim, ela ainda dorme no carrinho no meu quarto (óóóó que horror, ela devia estar no berço, dormindo no quarto dela!!!!), que fica mais fácil pra mim, quando ela acorda muito durante a noite. O que não tem acontecido porque a pitoca tem engatado o soninho até às 6 ou 7 hs da manhã. Ufa!

Minha experiência me diz que isso de colocar no quarto não tem nada a ver. A Natinha foi bem cedo pro quarto dela, com uns 20 dias, de tantooo que o povo me enchia de palpites e eu acreditava nas coisas que lia. Não lembro quem me disse que os filhos sairam da maternidade direto para seus respectivos berços e a maluca aqui chegou a cogitar isso, como sendo o ideal. Em quase oito anos, a Nati teve fases de dormir bem no quarto dela, outras de vir toda noite pra minha cama, aí passava e daqui a pouco começava o ciclo de novo. Fases de querer luz acesa, fases de pedir pra apagar a luz. Fases de pedir pra dormimos com ela. Fases, fases, fases...

E o que eu faço se tenho algum lugar pra ir a noite? No horário da rotininha de dormir da Andressa? Eu vou ué. Dou banho mais cedo, de banheira se eu estiver sozinha em casa, opto pelo sling ou pelo bebê conforto e vamos pro nosso compromisso bem felizes e despreocupadas. Dezembro teremos muitos eventos da Nati e iremos a todos eles. Inclusive nos opcionais, como no espetáculo Tholl, cujos ingressos já estão conosco.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

A anestesia afetou meu cérebro?

Se preparando para tomar banho. Pega calcinha e camisola, prende os cabelos em um coque.

Marido sai do banho, enquanto eu já estou dentro do banheiro.

- Onde tu vai?
- Tomar banho, ué.
- Agora?
Silêncio.
(pensa, pensa, pensa Andrea)
- É, eu estava pensando em entrar no chuveiro agora.
Marido me olha com uma cara esquisita e vai pro closet.
Silêncio.
- Amor, assim, algum problema?
Olhar incrédulo. Silêncio.
- Eu já tomei banho, né?
Ele me olha como se eu fosse a Lady Gaga. Tipo: quem é essa louca?
- Né amor? Eu tomei banho já, agorinha.
- Déia por favor né, para de bobeira.
- Sério, me ajuda, eu tomei banho agora a noite já?. Me cheira aqui, eu to cheirosinha. (claro que eu não tinha certeza, nem sobre estar cheirosinha, visto que eu cheiro a leite azedo o dia todo)
- Tu tá de camisola não tá?
- É, tô. Mas isso não quer dizer nada, tem dias que só tiro a camisola a noite para colocar outra.
- Eu não vou te responder isso, tu tá de sacanagem.
- Prometo que não me lembro. (penso rápido: não vou confessar assim minha esclerose) Ah, eu lembro sim, tomei banho, claaaaaaaaro, agora pouco, antes de jantar.
- Sei.

Cinco minutos depois. Andressa berrando no meu colo. Marido no banheiro de novo.

- Amor, assim, só olha pra mim aí no cesto, tem um vestidinho aí né?
- Déia!!!!
- Tá, parei.

* Que marido não me leia, mas eu não lembro de ter tomado banho. Será que tem cura?

Então é Natal...

já? mas cadê o resto do ano que passou tão rápido?

Socorro! Dezembro é mês que eu amo e odeio. Saca?

Eu odeio a correria, as promessas de me organizar melhor e não deixar tudo pra última hora, que eu nunca cumpro, odeio as lojas cheias, as pessoas estressadas, o dinheiro que só sai e não entra nadica de nada porque os processos que normalmente se arrastam, param de vez. O trânsito, ah como eu odeio o trânsito, no final de ano especialmente.

Então, que além do Natal e do Ano Novo, tem as férias forenses né, que para mim esse ano não significa muito, (viva a licença maternidade que eu me auto concedi) mas vou ter amado marido uns dias só pra mim (esse ano eu faço ele fechar o escritório!), e em dezembro, 23, eu nasci (mesmo que nunca comemore a data, é meu dia), e em dezembro, 29, lá do ano de 2002, eu fui mãe da garotinha de 7 anos mais linda do mundo e em dezembro de 2009 eu engravidei da garotinha de dois meses mais linda do mundo.

Tem a correria né, porqueétudojuntoagora, mas tenho todos os motivos do mundo para ser o mês que eu mais amo na vida...

- E agora é começar a organizar a festa de aniversário da Nati. Esse ano ela quer mudar o esquema e acabar de vez com a minha sanidade mental. Mas isso é assunto pro próximo post.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Nem tudo está perdido, ou há salvação para as noites de sono

e eu vivia enchendo a boca pra dizer que du vi da va que bebezinhos dormissem a noite toda, que aqui em casa não era assim e tal.

Reclamei de uma canseira sem fim tem pouco mais de dez dias, e me conformava lembrando que a Natinha foi dormir mesmo, uma noite inteira lá pelos cinco meses.

Aí a Andressa dormiu. Simples assim, acordei e eram 5:30 e ela não tinha acordado pra mamar, nem resmungado, nada. Barulho zero. Como mãe louca e neurótica que sou, sentei na cama depressa e sacudi a guria. Achei que ela tinha morrido. Ela abriu os olhinhos, deu um suspiro e dormiu de novo por mais 40 minutinhos, quando então acordou chorando de fome.

E hoje completamos uma semana de noites inteiras de sono. Então resolvi contar o que funcionou pra gente. E olha que se eu acreditasse em milagres, diria que aconteceu conosco, porque as nossas noites eram péssimas MESMO.

A Andressa ainda dorme no carrinho (um daqueles grandes que foi da Nati) no meu quarto, então deixo o carrinho prontinho, lá pelas 21 horas marido da banho nela, de chuveiro, eu seco, passo talco líquido nela massageando o corpinho, coloco o pijaminha, amamento, dou beijo de boa noite e nisso já estamos entre 22 e 22:30 horas, coloco no carrinho e ela dorme. Fazemos tudo isso apenas com a luz do abajur acessa e eu, normalmente fico lendo ou assistindo tv no quarto.

Se ela resmunga a noite eu apenas dou o bico e embalo o carrinho um pouco, não pego no colo e nem amamento. Meu erro era a cada resmungo dela eu já sair dando o peito de madrugada, ou pior, quando estava sem leite, dava mamadeira com LA, isso despertava ela demais e ela só ia dormir novamente umas duas horas depois, aí estava muito cheia, queria arrotar mais, queria vomitar, tinha soluços, etc.

Espero que as coisas continuem assim, dormindo entre 22 e 22:30 hs e acordando entre 5 e 6 tá ótimo! Para uma bebê de dois meses isso é o paraíso!!!!

Agora a mamãe aqui que precisa dormir antes da 1 hora da madrugada para realmente aproveitar as horas de sono a mais.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Matéria polêmica sobre amamentação

A pressão de ser uma mãe vaca

Vale a pena ler. Não concordo com tudo que ela diz. Todo mundo sabe o quanto desejo amamentar exclusivamente, mas sinto na pele a pressão e os olhos de censura de quem me pergunta e ouve a verdade.

Explico, todo mundo me pergunta SEMPRE: está amamentando? tem bastante leite? tu tá dando só peito né?

No começo eu respondia a verdade sempre, que sim, estava dando peito, mas leite artificial também porque não tinha o suficiente e isso até para a velhinha, que eu não conhecia, na fila do supermercado e aí o mínimo eu ganhava era um olhar de reprovação como se eu tivesse cinco anos e fosse pega colocando o dedo no bolo de aniversário da amiguinha.

Agora eu parei de falar, conto para os íntimos somente e se for muito necessário, tipo, se for pega com a Chicco na mão, senão, por mais mal que eu me sinta de mentir (culpa do meu pai que me educou desse jeito) eu minto na cara de pau mesmo.

Já tenho a frustração suficiente que isso me trás, não preciso de mais críticas e mais cobranças.

E pessoas xiitas, principalmente em relação a maternidade, passem longe de mim por favor.

Passei da idade das verdades absolutas tem muito tempo.

*****************
Mamadas de hoje (24 hs):
- peito LD
- Nan 240 ml (60 ml - 90 ml - 90 ml)

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Rumo a amamentação exclusiva...

Bom, ontem teve consulta com a pediatra e hoje consulta com minha obstetra. Duas queridas que eu adoro.

Hoje a Ana, a obstetra, me perguntou como tem andado minha amamentação e contei as novidades pra ela, que não contei por aqui. Tenho sentido que meu leite tem aumentado, claro que tem dias melhores e outros nem tanto. Mas a Andressa ter engordado além do que precisava me comprovou que sim, minhas tentativas de ter mais leite tem dado resultados positivos.

O que eu fiz:

- tomei plasil (não senti diferença nenhuma)
- tomei equilid (meus peitos encheram de leite, mas tive alergia e precisei parar)
- bebo muito líquido desde SEMPRE
- como aveia quase que todo dia
- ano menos estressada e menos ansiosa
- tenho dormido melhor (esse sim eu acho que dá muita diferença, essa semana voltei a sentir os peitos doloridos, coincidência ou não, justamente nos dois dias que dormi seis horas seguidas durante a noite)
- relactação, com as dicas da querida Beta, do Braços de polvo e coração de manteiga, e para tanto usei o Mamma Tutti que comprei na Panvel, é baratinho, em torno de R$ 22,00.

Será que vou dar conta hein? Sonhei tanto em amamentar exclusivamente até os seis meses, vou ficar tão feliz se conseguir.

Hoje foi apenas uma mamadeira de Nan de 90 ml e isso porque eu precisei sair por uma hora e meia e justo nesse período ela acordou com fome.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

* ter a sogra e a mãe juntas em casa significa que são duas para encher a Andressa de roupa e enrolar a guria em cobertor e para falar mal de mim ;o)

- elas tem sorte de eu ser a calma em pessoa!

- apesar de que agorinha soltei um: eu sou tãããããããããão ruim que a Nati nunca teve dor de garganta e nem dor de ouvido, claaaaaaaaaaaro que as velhinhas nem escutam né, e continuam com seu blá blá sobre bebês sentirem mais frio que nós, sobre soluços serem do frio, sobre pés gelados.

e eu dou risada né... fazer o quê?!

*** eu sou uma pessoa que vai pro céu. vaga garantida. certeza.

Dois meses de gostosura!

Hoje minha pitoca completa dois meses. Tá passando rápido demais. Não, não quero que o tempo voe assim.
Dois meses que eu sou muito mais feliz, que tenho minha família completa e feliz, como eu sempre desejei. Mãe das duas meninas mais lindas do mundo. (que mãe não acha as suas filhas as mais lindas do mundo?)

Hoje tivemos a consulta com a pediatra e minha gorduchinha engordou 1.250 k e cresceu 3,5 cm, atingindo, aos dois meses, 5.300 k e 56 cm.

Eu andava anotando as mamadas, horários se peito ou Nan e a quantidade de Nan que ela toma. Percebo que minhas tentativas de amamentação exclusiva vem dando resultado e ela vem mamando mais peito e menos Nan. Oba! Pediatra amada pediu para eu tentar diminuir ainda mais o Nan porque ela engordou além do que precisava. Vamos ver se minha gorduchinha vai concordar né...

A consulta não me deixou lá tão feliz por conta de outras coisinhas que vou contar depois, ou não. O dia não está animado como deveria ser.

Natinha queria bolo para comemorar os dois meses e eu não fiz. Não me animei. Já chorei um pouquinho, deprimi um pouquinho e me enchi de esperanças um pouquinho. Enchi a casa de gente, uma amiga e o filho, minha mãe, minha irmã e a sobrinha, mais duas amiguinhas da Nati e minha sogra que está passando uma temporada aqui em casa, já que o apartamento dela está em obras. Me distrai um pouco.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

sábado, 13 de novembro de 2010

AMO!





Não é pra morrer de orgulho? ;o)

Brigadeiro de Colher e Ovomaltine

Ia receber umas amigas pra jantar. Não tive condições de cozinhar e acabei decidindo por pedir pizza mesmo. Mas queria fazer pelo menos uma sobremesa. Na atual situação não podia ser nada complicado, muito menos demorado de fazer. Pensando em algo gostoso lembrei dessa receita e fez muito sucesso.
Sobremesa gostosa, rápida e fácil.

Brigadeiro de Colher e Ovomaltine


- 1 lata de leite condensado Nestlé
- 1 colher de sopa generosa de chocolate em pó (não use achocolatado)
- 1 colher de sopa generosa de ovomaltine
- 1/2 colher de sopa de manteiga (não use margarina)

Misture todos os ingredientes e leve ao fogo moderado mexendo sempre até o ponto de brigadeiro mole, ou seja, bem antes do ponto de enrolar.
Coloque em potinhos de 40 ml e sirva gelado com uma colher de chá de ovomaltine que só deve ser colocado na hora de servir para não perder a crocância.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

A Natália e a escola II

Para completar a maré, a professora da Natália hoje veio conversar com o amado marido, disse que ela está dispersa, que passa as aulas inteiras conversando e que está mal na tabuada. Que ela está mal na tabuada eu já sabia porque ela tirou 3 em dois testes e 5 em outro. Já estamos em um esquema de estudos com ela, mas que ainda não surtiu resultados.

Tudo que eu contei AQUI, continua acontecendo, ou seja o mundo parece que vai acabar daqui 5 minutos e ela precisa ver todas as séries, ir a todos os passeios, fazer todas as atividades (não escolares) e falar, falar, falar e falar sem parar. Ah o social, ela gosta mesmo é do social da escola.

Fiquei muito chateada com essa conversa do marido com a professora dela, uma dor de cabeça quase que imediata. Ela está de castigo, não irá viajar no feriado para casa da minha irmã e se na semana que vem, quando eu for conversar com a professora, as atitudes dela em sala de aula não estiverem melhores ela vai sair do ballet, do jazz e do violão. (vou rezar para que ela melhore porque vai me partir o coração tirar ela das atividades que ela gosta tanto)

Montei um novo esquema de horários e regras para ela. (sim, novas regras e horários para uma mãe que não consegue nem lembrar se escovou os dentes! aloca!) Televisão e piscina só depois das atividades feitas, 30 exercícios de tabuada por dia depois das tarefas da escola e 30 minutos de estudo de tabuada/leitura de livrinhos a noite antes de dormir.

Espero sinceramente que essa fase passe. Percebo nela uma mudança de atitude, é como falei esses dias, ela não é mais um bebê que tem em mim e no pai dela o seu maior exemplo, ela não nos escuta mais como antes, ela contesta, argumenta, tem outra visão das coisas, com respeito, claro, mas tem demonstrado uma personalidade contestadora, inquieta. O que é bom por um lado, quero que ela seja sim "um ser pensante" e não um robô, mas é tão cedo para isso, ela só tem sete anos!

Conversando com o amado marido chegamos a conclusão que chegou a hora de sermos mais rígidos, que não temos que dar espaço pra negociações, que aconteciam até agora com muita frequência. Coisinhas do dia a dia, como fazer o dever de casa mais tarde porque o sol está lindo e a piscina quentinha, dormir mais tarde porque a amiga veio brincar. Andamos cedendo demais e ela não tem maturidade suficiente pra entender que sim, ela pode faltar aula pra emendar o feriadão, mas térá que se esforçar para tirar boas notas.

Esse esquema não funcionou aqui em casa, liberdade com responsabilidade é um lema que não funciona para meninas de sete anos.

Mudamos para o regime militar. Espero que dê resultados e que nosso coração mole consiga persistir.

Claro que a culpa veio forte, mas pensando bem em tudo isso desde a hora que soube, eu nunca fui mãe de uma menina de sete anos, estou aprendendo também. Errando e acertando, me desesperando muito, mas sem nunca desistir porque amo ser mãe e amo minhas filhas acima de tudo.

Mesmo que essa seja uma tarefa árdua e nada gratificante às vezes.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Da insanidade de cada dia

*respira fundo*

eu tô cansada.

Simples assim. Cansada pra valer. Minha cabeça não anda a mesma. Não consigo me lembrar de coisas simples do dia a dia. Do nome das pessoas e das coisas. Esqueço de desligar o fogão. Queimei a caneca de inox que fervo a água para a mamadeira da Andressa.

Tenho acordado na madrugada (nas poucas horas de sono que tenho) para revisar o fogão e o forno, para ver se coloquei a Andressa para dormir mesmo. Para pensar se escovei os dentes, se lembrei de tomar banho, se coloquei o elástico do aparelho. Será que fiz os temas com a Nati?

A falta de sono tá me pegando. Todo mundo me diz, aproveita pra dormir de dia, quando a Andressa dorme. Mas eu sou mãe de duas! Preciso dar atenção pra Natália nesse tempo. Fazemos as tarefas dela, jogamos, vamos pra piscina (é eu entrar na água a Andressa acorda), assistimos TV. Sem contar que a Nati me chama pra tudo, ela fala sem parar e quer me contar tudo que ela vê na tv, todo desenho que ela faz, toda joaninha que ela acha no jardim.

Ando dispersa e desatenta.

Prometo que vou fazer as coisas para as pessoas e esqueço completamente. Meu irmão coitado, que está cuidando dos meus processos fica eternamente esperando os modelos que ele me pede de petições e eu prometo que mando em 10 minutos. Nunca mais me lembro. Se bobear esqueço até que tenho irmão.

Coloquei Bepantol na escova de dentes, o pior, só me dei conta quando coloquei a escova na boca pra começar a escovação.

Hoje me permiti sair de casa sem a Andressa. Fui pro salão refazer o cabelo, mão e pé. Me sentir melhor comigo mesma me pareceu um primeiro passo pra me animar. A Andressa ficou com a minha empregada e rumei com a Nati pra rua. Foi bom mas me arrependi. Não pela Andressa que foi uma fofa e dormiu durante as duas horas que estive fora. Me arrependi porque o tempo ficou apertado pra fazer os temas com a Nati, que cada dia tem mais e mais deveres de casa e ficamos de uma a duas horas por dia fazendo as atividades. E a Andressa chora e eu preciso amamentar e trocar fraldas e fazer dormir e a Nati acaba tendo que esperar, ai aproveita pra fugir, pra ir ver TV... O nosso dia atrasou inteiro e acabei colocando a Natália na cama somente às 22 horas e pulamos a leitura e o estudo da tabuada da noite.

O banho da Andressa saiu somente depois disso e ela já estava num chororô sem fim.

Só consigo pensar que eu precisava de uma semana em um spa, sem marido e sem filhos. Sem cachorro e sem celular. Tá, dois dias eu tava bem feliz.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Cadê a menina fofinha que estava aqui?

Prestes a completar 8 anos eu já começo a sentir os efeitos da pré adolescência rondando nosso lar. MEDO!

Até ontem eu tinha uma menina cor de rosa, de roupas meigas que deixavam ela parecendo uma boneca, quase um cupcake daqueles bem cutes.

Acho que ela foi abduzida. Só pode. Cadarço um de cada cor é demais para mim!

Ela diz que agora a moda é ser colorida. Então tá né.

Tudo por culpa de uns tais de Restart. Uma banda de uns meninos esquisitos (e o Menudo era o que?) que andam de calças coloridas e óculos idem. Eu só escuto isso dia e noite e ainda preciso me adaptar as novas compras...

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Toma III

acabei de concordar em fazer a festa de Natal da família aqui em casa de novo. A maternidade não afetou só meu peso e meu sono, afetou meu juízo também. Só pode!

Toma II

- a fulana veio conhecer a Andressa?
- não
- e a ciclana?
- não veio
- e a beltrana?
- também não
(silêncio 1)
- que estranho né, aconteceu alguma coisa? tu fez alguma coisa pra elas?
(silêncio 2)

- obrigada!
- que foi?
- agora além de chateada eu vou ficar procurando alguma coisa pra me culpar.

Toma!

Li em algum lugar. Sobre maternidade, claro.

Se você puder sentar, SENTE.
Se puder deitar, DEITE.
Se puder dormir, DURMA.

Parece que é do Livro a Encantadora de Bebês. (Sim, eu podia procurar, mas estou com preguiça.)

E o que a pessoa está fazendo? 1 hora da madrugada, depois de um dia horroroso onde a minha pequeninha teve, pela primeira vez muitas cólicas...

Está acordada, completamente sem sono, assistindo nada na TV. A filha mais velha dorme desde às 21 horas, a pequeninha dorme profundamente desde às 22 horas, e o marido capotou no sofá e quase que eu precisei arrastá-lo pra cama entre 21 e 22 horas.

Alguém duvida que quando eu conseguir dormir a pequeninha vai acordar?

sábado, 30 de outubro de 2010

Slingando pelo mundo!


Então que eu contei que tinha encomendado, finalmente, o nosso sling. Confesso que adiei tanto porque achava que seria mais uma tralha inútil, fruto do modismo "modernoso" da internet.

Da internet sim, porque por aqui onde eu moro, nunca vi ninguém usando.

Ai que contei da saga que foi sair de casa com a Andressa e da minha decisão de me render a experiência "mãe canguru", ou "mãe índia", que é como me parecia ter os filhos pendurados passeando por aí.

Mas quer saber? AMEI! Ou melhor, AMAMOS!

No dia que chegou já coloquei ela dentro e fui dar uma voltinha na frente de casa, em menos de dois minutos a pequena caiu no sono, com ela dentro do sling consegui fazer várias coisinhas em casa, já que tinha os dois braços livres.

Bem adaptadas fomos pro shopping e depois pro supermercado. Duas horas caminhando com ela no sling e minha coluna não sentiu. Fomos a sensação dos lugares, cidade do interior né, o povo não conhece... duas grávidas me pararam para fazer perguntas sobre como era usar e onde eu havia comprado.

Foi uma ótima aquisição! Amado marido experimentou e disse: "como é bom ser grávido", porque é bem essa a sensação que temos, a do bebê aconchegado na barriga.

O modelo escolhido foi o wrap, justamente por dividir o peso por igual nas costas.


Eu super indico e a Nati também experimentou e adorou carregar a irmã assim.

O modelo que eu escolhi é o Sling Wrap, lindo, e é da Slingando - Sun Kepina.


Esse não é um post pago. Indico porque gostei mesmo.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

porque não pari só uma filha

junto com ela nasceu uma culpa que só alguém que se cobra demais ainda não entendeu que não existe motivo.
é, eu mesma!

- filha a mãe hoje quase nem ficou contigo né, mas olha a maninha vai crescer um pouquinho e não vai me ocupar tanto
- hurum
- é que ela é pequeninha ainda
- hurum (bem distraída com a televisão dela)
- é, a mãe fica muito tempo com ela
- é mesmo mãe, tu só fica com a maninha
quase desfaleci e comecei a pensar rápido em todos os argumentos... ela completa com:
- E EU NEM POSSO FICAR COM ELA MÃE, ISSO NÃO É JUSTO, TU QUER ELA SÓ PRA TI!

e eu mudo de idéia quase como mudo de roupa...

eu andava um pouco chateada sabe, tenho sentido muita diferença dos primeiros dias de nascimento da Natália, quando eu morava no centro, e agora, da Andressa, quando eu moro em um bairro.

eu odiava morar naquele apartamento, que era ótimo, mas era apartamento né, mas pra essa fase de bebezinho RN em casa era melhor, eu ia dar uma voltinha, ia no mercado, ia ver uma loja, comprar uma coisinha, era tudo fácil. me entediava, colocava a filha no carrinho e saia de casa no máximo com o bico e uma fraldinha de boca. não dependia tanto do marido, levava na médica, pra fazer vacina, ia pra todo lugar sem estresse e sem depender de ninguém.

agora moro longe do centro, na casa que eu AMO, mas sair de casa é uma mão de obra e tanto. na sexta resolvi sair sozinha, chega de marido grudado e depender dos horários dele pras coisas que quero fazer. ele é um querido que nunca reclama, mas é chato, pô. arruma bolsa de bebê GIGANTE, pensa em quantas fraldas, quantas mamadas, quantas possíveis trocas de roupa. monta bebê conforto, coloca o carrinho no porta malas. vou pra rua. tira bebê do carro. leva o bebê conforto ou carrega a bebê no colo? no colo, menos mão de obra. fizemos o teste da orelhinha e tudo ok, a audição dela corresponde a um bebê de 90 dias. coloca bebê no carro. fui pra uma loja comprar meias calças pra Andressa. repete o processo. fui pro salão cortar o cabelo e fazer a mão. aí decidi carregar ela no carrinho porque podia demorar e seria mais confortável. demora muito montar o carrinho no meio da rua, ainda não tenho prática no dito. resolvo deixar o carro no estacionamento do shopping porque posso demorar sem ficar estressada com assalto.

depois de uns 5 minutos de pega, aperta, carrega, prende, passei no supermercado pra fazer umas comprinhas e fomos pro salão. quase duas horas lá e começa uma chuva do inferno. como eu ia com a guria até o shopping na chuva? até tenho a capa do carrinho, mas me deu um desânimo, uma vontade de chorar. um monte de coisas pra carregar e o mundo desabando em chuva.

liguei pro marido me socorrer, não teve outro jeito. deprimi bem e decidi que não saio mais de casa sozinha e pronto.

como eu sou osso duro de roer, mudei de idéia e comprei um sling. acho que com ele pode ser mais fácil de sair de casa, desconsiderando totalmente minha sensação de ficar parecendo uma índia carregando a cria, estou ansiosa esperando chegar.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Lembrancinhas da Andressa

Então que é tanta coisa que eu esqueci de postar sobre as lembrancinhas que eu fiz pro nascimento da Andressa.

Fiz com a Graziele, que além de talentosa e com muito bom gosto é minha prima, e fica a dica, ela envia para todo Brasil! Visitem o blog dela Arte Digital By Graziele Mello

A primeira é a lembrancinha pra maternidade e eu escolhi as latinhas com balinhas e ficaram bem bonitinhas.



A segunda foi para levar para a escola da Nati quando levei a Andressa para os colegas e a professora dela conhecerem, na semana passada. A profe Josi foi uma querida, que deu muita força para o processo "segundo filho", com o incentivo dela a Natália ficou orgulhosa da irmã, que virou atração na escola. Quando eu estava grávida, eram muitas as crianças que vinham me encher de perguntas sobre o bebê.

As mães dos coleguinhas também foram super fofas sempre se interessando por nós e muitas nos mandaram presentinhos lindos.

No dia que a Andressa nasceu todos os colegas fizeram desenhos para a Andressa e a Natália levou para o hospital, os desenhos acabaram, inclusive fazendo parte do vídeo do nascimento.

Foi muito legal e eu quis retribuir isso. A Grazi me ajudou e fizemos um pirulito com a fotinho da Andressa e no verso um agradecimento pelo carinho conosco.

Ficou lindo, e a mamãe aqui, no estresse do dia, esqueci de guardar um para mim, até mesmo porque a Nati saiu distribuindo os que sobraram. Então as fotos eu precisei furtar do blog da Grazi



O agradecimento foi "Natália, Mamãe Andrea, Papai Ario, agradecem o carinho demonstrado pelo nascimento da Andressa".

E o mais legal de tudo isso é que a Grazi ainda vai dar um brinde para os leitores do blog que fizerem encomenda com ela até 15 de dezembro. Corre lá para espiar o que ela tem de lindo e não perder essa! Basta falar que é leitor do Segunda Versão e fazer sua encomenda acima de R$ 60,00 até o final deste ano para garantir um calendário de parede 2011 personalizado!

O Natal tá chegando e ela tem ótimas sugestões de presentes personalizados. Eu já estou separando as fotos para o Fotolivro que quero fazer...

domingo, 24 de outubro de 2010

A hora certa de furar a orelha de sua bebê


então que minha experiência foi diferente com cada uma das minhas filhas. Com a Natália fiquei com muitas dúvidas sobre qual o melhor momento de colocar os brinquinhos nela e, naquela época os hospitais não furavam mais as orelhinhas.

Fui enrolando uns dias e criei coragem quando ela estava com 11 dias. A levamos em uma clínica e o procedimento foi rápido, eu fiquei do lado de fora da sala e ela foi com o papai, que eu sou covarde pra ver minhas filhas sofrendo. Ela chorou, e quando saiu da sala ofereci o peito pra acalmar. Ela passou umas 3 ou 4 horas, no que chamamos de magoada, ela dava umas suspiradas sentidas de vez em quando.

Com a Andressa uma enfermeira no hospital me perguntou se eu queria furar já na alta da maternidade. Topamos de cara e minha mãe levou os brinquinhos lindos, de pérola, que foram presente dela. De novo eu não tive coragem de assistir e minha irmã aproveitou o embalo e furou as orelhas da Gabi que estava com 25 dias.

A Gabi chorou e esperneou. A Andressa, com seus dois dias de vida nem acordou.

Então temos 3 experiências na família, com 11 dias, com 25 dias e com 2 dias de vida.

Minha dica, baseada exclusivamente na minha experiência pessoal, é fure as orelhinhas delas o quanto antes!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Vamos de fotos...

* O sapo não lava o pé, não lava porque não quer...



* Sono. E nem só de cor de rosa vivem as meninas (e é difícil achar algo que fuja do rosa/lilás), esse monte de sapinhos é em homenagem a vovó Elisete que adora sapos, de mentirinha, claro.


* Pediatra liberou andar na rua. Mamãe correu pro supermercado. Primeira ida as compras!


* Soninho na rede. Delícia!


* É primavera, te amo! É primavera, te amo, meu amor... Meus jardins estão lindos e floridos. Não tem estação mais linda que essa!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Rapidinhas que eu ando bem mal humorada...

- parei de perder peso, médica me liberou pra caminhar, "de leve que tu mal fez 30 dias de cirurgia", e me proibiu o simulmador de caminhada, caminhar na rua para mim sempre foi tortura, agora então, nem pensar! continuo fazendo nada!

- emagreci praticamente tudo que engordei na gravidez, mas preciso emagrecer mais e estava indo em um ritmo maravilhoso... preciso retomar urgente;

- o meu leite continua diminuindo e estou fazendo relactação, e achando bem difícil, tomei um banho de leite de madrugada que me fez ir chorar escondida no banheiro;

- fomos na pediatra para a consulta mensal, a pequena está com 52,5 cm e pensando 4050 k, ótimo!

- me sinto tão amarrada, o dia termina e não fiz metade das coisas que me programei;

- adoro horário de verão, marido chega em casa e é dia claro ainda, filha já está curtindo a piscina (aquecimento solar a mil), ontem ela insistiu tanto que fui dar um mergulho com ela enquanto a Andressa dormia, foi o tempo de eu me molhar toda e a guria acordar;

- Andressa tomou banho de chuveiro e adorou;

- Natinha anda cansada, final de ano chegando e ela já começa a mostrar sinas de que precisa de férias;

- com o calorzinho que tem dado por aqui arrisquei ficar na varanda, na rede, com a Andressa, melhor lugar que existe para amamentar, passamos horas ali e foi delícia;

- tenho me sentindo presa e dependente do marido demais, mas sair de casa com uma bebê tão pequena envolve muita organização e muita coisa para carregar, ainda mais para quem não tem conseguido amamentar só no peito;

- sim, eu tenho empregada e cuido da minha filha sozinha, a tia Lucia cuida da casa;

- me sinto péssima e com raiva de toda propaganda sobre amamentação que vejo, parece que toda mãe que não amamenta exclusivamente no peito não o faz porque não quer, EU QUERO E NÃO CONSIGO!

- como tem gente sem noção nesse mundo né? eu fico passada... e decepcionada...

sábado, 16 de outubro de 2010

Mesversário da minha pequena!

Hoje minha pequena completa 1 mês de vida. Um mês que eu sou muito mais feliz. Um mês inteirinho de muitos beijos e abraços e de uma fofura sem tamanho.

Muito medo de o tempo passar rápido demais.

Parabéns minha princesa. Mamãe, papai e maninha te amam MUITO!


** Já sou uma baby mocinha!!!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Barra de Cereal - Hello Dolly Bars

Então que inspirada na receita que vi no blog da Chris, resolvi testar essa receita e chamei a Natinha pra ajudar. Aproveitei o que tinha em casa e adaptamos a receita. Fica bem gostoso também gelado, que é como foi consumido aqui em casa.

Barra de Cereal

200 grs. de biscoito Aveia e Mel da Nestlé - (pode ser qualquer um que esfarele)
1 xícara de gotas de chocolate ao leite
1 1/2 xícaras de coco ralado
1 1/2 xícaras de nozes torradas picadas
1 lata de leite condensado
3 col. de sopa de manteiga derretida
2 col. de sopa de água
2 pacotinhos de Bib`s de amendoim (para decorar, opcional)

Modo de fazer:
Pré-aqueça o forno a 180°. Arrume numa fôrma quadrada, uma folha de papel manteiga.
Moa os biscoitos até ficar uma farofa, acrescente a manteiga derretida e a água, misture bem e forre o fundo da forma, não precisa apertar muito. Em cima do biscoito, coloque as gotas de chocolate, a seguir as nozes picadas e por último o coco . Espalhar o leite condensado por cima de tudo. Asse no forno a 180° por 30 minutos, ou olhe quando a parte superior estiver dourado e borbulhante nas bordas, aí está pronto. Deixe esfriar na fôrma por pelo menos meia hora, tire o papel manteiga, essa parte é chatinha, porque o papel está molhado e grudado, mas dá pra tirar tudo. Decore com os Bib`s de amendoim. Deixe gelar, corte em barrinhas e sirva.

Pezinhos de bebê

são a coisa mais fofa desse mundo, nénão?

* pezinhos da Andressa com 10 dias de vida!

A gente sabe que escolheu direitinho...

quando recebe um telefonema e tem esse diálogo:

- amor, eu estou em Porto Alegre, vim assinar um acordo, mas me lembrei que amanhã é Dia dos Professores e tu está aí envolvida com a Andressa, quer que eu compre algo pra professora da Nati?

- ah é mesmo, quero sim, eu tinha esquecido completamente, aliás, são 4 da tarde e eu ainda estou de camisola!

- eu imaginei que a Andressa está te ocupando, mas sei que tu ia ficar chateada de não mandar nada, deixa comigo.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Pérolas da Natinha - Parte 12

- mãe é a vororoca, a Grazi e a Lulu!!!
- que bom filha, deixa que o pai vai abrir a porta.
- tá bom mãe, mas não deixa a Grazi pegar a maninha no colo muito tempo!


* isso é pra quem achava que ela iria ter ciúmes da Andressa, ela tem sim, ciúmes dos outros com a irmã que ela acha que é só dela!

Dia das Crianças...

Então que a vovó Elisete resolveu fazer um almoço na casa dela hoje, meus avós iriam estar lá, e por mais complicado que seja pra sair de casa de manhã com um bebê pequeno, não quis perder a oportunidade de ficar perto deles.

E digo que é complicado porque a Andressa ainda fica acordada, normalmente das 3hs às 6hs ou 7hs da madrugada, então minhas horas de sono tem sido da meia noite às 3hs e das 6 ou 7hs até umas 9 ou 10hs.

Ai com duas crianças fica complicado estar pronta antes do meio dia. Como sei que meu avô almoça religiosamente ao meio dia, sai de casa feito uma louca hoje, sem maquiagem e me dei conta quando já estava lá, que nem escovei os cabelos!

Isso tudo porque a Natinha ainda fez as tarefas de casa hoje cedo, demos uma geral na casa, arrumamos a bolsa da Andressa, deixamos o banho pra mais tarde, mesmo ela tendo vomitado quando eu estava colocando ela no bebê conforto, ela bem merecia um banho, mas já eram mais de 11:30hs e o máximo que deu pra fazer foi passar um paninho e trocar a roupa.

Mais tarde ainda tivemos a visita, já aqui em casa, da minha dinda e primas, a Andressa só pendurada em mim e em uma reina chatinha, só lembrei de oferecer um docinho que a Nati fez quando elas já estavam no carro indo embora! Eu sou um desastre!!!
Mas pelo menos elas gostaram e amanhã eu posto a receita aqui.

Natinha ganhou vários presentes, e da mamãe e do papai rolou o tão desejado vídeo game, o tal Wii. Espero que ela use.

Agora minhas bichinhas estão aqui, aninhadas na minha cama, prontas pra mais uma noite de sono (oi?)...


AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!AMO!

Repararam que elas dormem de mãos dadas?????????

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O Inferno da Amamentação - Parte II

Desencanei. Já chorei todas as lágrimas que eu tinha pra chorar e agora vou me conformar com aquilo que está ao meu alcance.

Tá, quando penso que a Andressa é minha última filha e meu ideal de amamentação não será suprido nessa vida já quase choro de novo...

Tomei uma caixa de Plasil por orientação da pediatra da Andressa e do minha gineco. Não adiantou nada, cada dia piorava mais. Minha gineco me deu Equilid pra tomar. Senti diferença no quarto comprimido, acordei no meio da noite com aquelas agulhadinhas nos seios e eles estavam cheios de novo e minha camisola molhada (porque claro que eu não preciso mais usar conchas e nem protetores). Feliz era meu segundo nome. Amamentei a Andressa no peito o dia inteirinho.

Acreditei que todos os meus problemas estavam resolvidos. No outro dia acordei cheia de pintinhas pelo corpo. Ignorei. Percebi que duas horas depois de cada comprimido as manchinhas pioravam muito. Começou a coceira insuportável. Na noite de sexta pra sábado não dormi de tanta coceira pelo corpo. Fui obrigada a contar pro marido, que nem me deixou tomar o próximo comprimido.

Liguei pra médica e pedi um anti alérgico pra tomar junto. Ela me mandou suspender o Equilid, pedi, implorei, tentei convencê-la e não adiantou, ela disse a indicação é suspender e que sou muito alérgica que a tendência é continuar piorando cada vez mais.

Chorei como se o mundo estivesse por acabar. Me recolhi. Fiquei quietinha no meu canto. Administrei minha frustração e deu.

Comprei mais uma lata de Nan, um potinho separador de leite. Mantenho água fervida em uma garrafa térmica. Sai ontem carregada de coisas me lamentando da vida.

Continuo dando o peito, ela adora. Oooooooooooooooi! Cadê toda aquela teoria de que criança que toma mamadeira e chupa bico não pega mais o seio?! A Andressa adora o peito e pega bem feliz sempre que ofereço, e eu faço isso SEMPRE. Quando não tenho nada de leite dói bastante, mas mesmo assim deixo ela sugando o nada um pouco pra estimular.

Temos conseguido duas mamadas de mamadeira e uma de peito, e assim vamos indo.

Minha filhota está mais tranquila, dormindo melhor e por mais tempo. Aquele desespero de chorar por minutos e mais minutos sem parar passou, e o desespero de passar 24 horas pendurada no meu seio passou também. A bichinha tinha fome e eu achava que era insegurança. Ela mamava dez minutos, dormia dez minutos, mamava mais dez minutos e assim passávamos dia e noite.

É muito, muito frustrante, muito, muito dolorido. Mas eu tenho feito tudo que posso, bebo 4 litros de água por dia, como aveia, como sorvete, dou o peito, mesmo vazio pra estimular, tomei os remédios que pude.

Não dá pra nadar contra a maré e vou tentar não sofrer tanto.

* Muita raiva de quem tem leite e não amamenta por opção!!!!!!!!!
** Obrigada gurias por toda força e pelas dicas!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

E a coisa apertou demais por aqui,

meu sogro faleceu na segunda-feira, dia 04 de outubro. Nós estávamos esperando, ele estava doente já tinha algum tempo, mas é sempre um susto, é sempre muito triste.


Isso tudo me fez ter que montar um esquema de cuidados com a Andressa e com a Natália. A minha amiga Fabi se encarregou de buscar a Nati na escola, e minha mãe e minha irmã ficaram com a Andressa. Fiquei dividida e com o coração apertado porque precisava ficar com meu marido, dar força pra minha sogra e minhas cunhadas e também precisava ficar com a minha bebê.

Cogitei levar ela junto, já que no lugar que a família escolheu para o velório e a cerimônia de cremação tinha uma sala muito confortável reservada para a família e nós ficaríamos bem por ali, com um cantinho para a amamentação e para ela dormir em paz. Mas acabamos desistindo da idéia porque muitas das pessoas que estavam ali não conheciam ela e, claro, ficariam curiosas para vê-la e o ambiente era fechado e está é uma época de muitos resfriados por aqui.

Fiquei triste porque meu sogro não chegou a conhecer a netinha, sei que ele teria ficado feliz, mas ninguém merecia o sofrimento pelo qual ele estava passando, sabemos que ele descansou.

Fui criticada por algumas pessoas por ter deixado minha bebê tão pequena longe de mim por esse período, que foi exatamente, das 14 hs às 23 hs de segunda, e das 08 hs às 12 hs de terça, mas não existia a menor possibilidade de eu deixar meu marido sozinho em um momento tão triste como esse, me certifiquei de a Andressa ficaria bem, testei a mamadeira antes, o leite, e fui com a certeza de que ela seria cuidada e amada por esse período, enquanto a mamãe aqui precisava cuidar do papai, que já está bem melhor depois que teve um sonho lindo com meu sogro.

domingo, 3 de outubro de 2010

Andressa e o banho de balde

Ela adora o banho de banheira, isso é fato. Aí durante a gravidez descobri o tal banho de balde e achei o máximo os bebezinhos enfiados ali naquele ofurô de bebê. Mas acabei esquecendo o fato e achando um desaforo o preço do tal balde original, importado, claro, por R$ 100,00. Neeeeeeeem!

Ai navegando por aí descubro que muita gente já tinha improvisado e estava usando baldes genéricos na tal aventura de enfiar os pequenos nos baldes.

Marido se empolgou e foi comprar o balde Sanremo, linha Oba, tranparente de 15 litros e enfiamos a guria dentro quando ela estava com 9 dias de vida. Ela amou e chegou a dormir de tão relaxada que ficou, mas atrapalhados que estávamos as fotos sairam muito ruins.

Claro que não dispensamos a banheira, e o esquema ficou assim quando dou banho e o marido está em casa ela vai pra banheira e quando eu estou sozinha na hora do banho usamos o balde.

Por que?

Porque o balde é mais fácil pra eu carregar e fica mais leve já que vai menos água.

E o processo que eu uso é o seguinte.

Ainda de roupa lavo a cabecinha dela e o rosto, segurando ela deitada no meu braço sobre o balde, aí seco bem os cabelinhos, tiro a roupinha, limpo o bumbum e coloco ela no balde, deixo ela relaxar bem e só depois lavo ela direitinho.

Ontem a tia Ju nos ajudou e acabou que saíram algumas fotinhos.




* Ai que delícia!!!

sábado, 2 de outubro de 2010

O inferno da amamentação

então que quem me acompanha (ui!)sabe o quanto é importante pra mim amamentar, o quanto sofri quando com a Natália, meu leite se foi quando voltei a trabalhar aos dois meses de vidinha dela.

Aí que agora me preparei tanto, psicologicamente e fisicamente falando, esqueci do escritório (ferrei amado marido e amado irmão nessa né, mas dei uma filha e uma afilhada linda pra eles), tomei sol, usei bucha, bebi e bebo muita água, muito iogurte, muita aveia... rezei, torci, fiz pensamento positivo.

E Andressa nasceu em uma quinta, exatas uma hora depois de ela nascer ela grudou no meu peito de primeira, pega correta, sugando o colostro todinho com muita vontade, 40 minutos depois um baita arroto e uma carinha de satisfeita. A mamãe aqui muito satisfeita também.

Na sexta de madrugada, ainda no hospital fui obrigada a concordar com um pouquinho de Nan, porque a guria berrava tanto, mas tanto que uma enfermeira veio ver o que estava acontecendo, na terceira vez que ela sugeriu a fórmula eu concordei, com o argumento de que ela estava realmente com fome e eu tinha que pensar no que era melhor pra ela naquele momento. Foram 10 ml de fórmula e a gatinha dormiu feito um anjo de barriguinha cheia.

No Sábado a noite, já em casa meu leite desceu, peitões cheios, usando conchas e muita pomadinha. Mamãe feliz e contente. Apesar das dores, porque primeiros dias dói mesmo gente.

Na Segunda a pitoca arrancou um pedaço do meu seio fora, sangrou. Muito Lanidrat depois tudo estava curado.

Terça foi um dia lindo, muitas mamadas, peito melhorando. Tivemos uns dias de felicidade plena, já que a dor diminui bastante depois do quinto dia.

E a guria começou a chorar, mais a noite, mas ela berrava, mamava e berrava, mamava e berrava. Eram muitas horas de um sono curtinho e intercalado com berros. Na última terça, no meio da madrugada entre berros e mais berros resolvi verificar o seio que ela estava mamando, não saia nada, nem uma gotinha de leite.

Chorei, chorei, chorei.

Marido foi fazer a fórmula maldita, o Nan que eu disse que não queria que comprasse e ele comprou para garantir. Ela mamou 60 ml enquanto eu chorava e dormiu feliz e satisfeita depois de um arroto gigante que ela nunca tinha dado.

Daí em diante tenho tentando de tudo, 4 litros de água por dia, plasil de 6 em 6 horas, como aveia todo dia e ainda uso aquele spray de ocitocina no nariz.

Cansada de nadar contra a maré, (não depois de sofrer muito), agora montamos um esquema, dou o peito, ela esvazia os dois, se não ficar satisfeita complemento com fórmula.

Claro que não desisti, claro que tenho muita esperança disso tudo ser passageiro e não escrevi antes sobre o assunto porque eu estava sofrendo e me sentindo culpada, agora estou tentando ficar em paz com a vida e com o que ela me trás...

mas com a certeza de que ainda posso reverter esse jogo!

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Crescendo...

eu já posso arrasar de biquini no verão, meu umbigo já era!!!!

Então que o umbigo da minha lindinha caiu no sábado, com 9 dias de vida, foi muito bem cuidado, exclusivamente pelo papai, porque a mamãe aqui tem uma agonia, parece que aquilo machuca e eu, definitivamente, não dou conta.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

A Bauducco pisou na bola com a consumidora aqui de casa...

- mãe nós vamos ter que fazer duas coisas
- que coisas filhas?
- a primeira é nunca mais comprar nada da marca Bauducco, e a segunda é processar eles!
- nossa filha e por que isso?
- porque mãe, eles fazem propaganda pra nos fazer gastar e comprar as coisas deles pra trocar por um bichinho que vira travesseiro, a gente gasta e quando vai trocar nem chegaram os bichinhos na nossa cidade, aí eles fazem propaganda dizendo que vai voltar a promoção e não volta
- um bando de gente mentirosa!

Te liga Bauducco! E a guria só tem 7 anos!

* Natinha está se referindo a promoção da Bauducco, "Bichinho dos Sonhos", se eles tivessem gasto produzindo os bichinhos o tanto quanto gastaram com comerciais divulgando, com certeza teriam conseguido vencer a demanda!

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Porque nessa família nós sabemos fazer filhas!


* Primas, Natinha, Gabi e Andressa.

Rapidinhas

Tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo...

- Natinha pegou um refriado daqueles e a pediatra pediu pra ela não beijar, não pegar a Andressa no colo e evitar ficar muito perto dela, pensem numa tortura... então!

- Andressa está bem e mamando muito, como ela cansa logo, e adora dormir no mama, eu passo dia e noite amamentando;

- Dormir eu não sei mais o que é, normalmente vou pra cama às 23 horas, quando dou a última mamada do dia, aí a pequena está cansada e não consegue mamar muito, acorda normalmente uma hora depois, ainda muito cansada, passamos de 3 a 4 horas no mama, troca, faz arrotar, faz dormir, coloca na cama, dez minutos depois ela chora de novo e assim a gente vai, normalmente até às 6 ou 7 da manhâ, quando então ela ferra no sono e ai conseguimos dormir umas duas ou três horas. Ou seja, a mamãe aqui tem dormido umas 3 ou 4 horas por dia e era isso.

- Eu tô bem legal até, tirando as olheiras gigantes, porque sou uma pessoa que dorme pouco, poucas horas de sono me deixam inteira.

- A pressão tinha baixado um pouco porque eu estava tomando medicação, voltou ao meu normal de antes da gravidez, 11x7, mas passei muito mal em uma madrugada, um frio gigante, eu tremia inteira, marido me colocou três cobertores, ligou o ar condicionado, um aquecedor, se deitou sobre mim para me aquecer e controlar a tremedeira e mesmo assim eu tremia de frio, isso durou uns 40 minutos. A pressão caiu demais por conta da medicação, suspendemos. A pressão voltou a subir, hoje tenho médica e vou ver o que ela decide.

- Meu sogro está muito mal no hospital, ele internou tem mais de uma semana, quando a Andressa estava com 3 dias de vida. Uma tristeza. Dó de não poder dar uma força para minha sogra neste momento tão difícil. Tudo indica que não tenha volta e infelizmente talvez ele não chegue a conhecer a netinha nova. Ontem acabei experimentando dar mamadeira para a Andressa, para ver como ela reagiria, caso eu precise ir para Porto Alegre e ela tenha que ficar com minha mãe. Hoje começo a ordenhar leite e armazenar. Apesar de todos acharem que eu não deva nem cogitar ir para Poa, caso aconteça o pior, estou me preparando sim, porque eu jamais deixaria meu marido sozinho em um momento destes. Garantindo o leite da Andressa sei que ela ficará bem com minha mãe por algumas horas que se farão necessárias.

domingo, 26 de setembro de 2010

Ser mãe de duas é:

enquanto carrega uma no colo, faz malabarismos para secar o cabelo da outra com o secador...

sábado, 25 de setembro de 2010

Mesversário da Gabriela!

Hoje a lindinha da dinda está fazendo um mês! Morrendo de saudades dela...

Foto das duas primas bebês juntas. Andressa com dois dias e Gabriela com 23 dias.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

1 semana de vida!



E apesar da boca da mamãe continuar ferrada nós arrumamos um jeitinho... beijinho de esquimó dia e noite!

Mais pérolas da Natinha

Às 4 horas da madrugada, enquanto eu trocava as fraldas da Andressa, ela aos berros, claro, a Natália entra no meu quarto:

- Andressa assim não dá, eu não consigo dormir, pra que chorar desse jeito?
- E a Andressa aos berros...
- Olha só maninha eu tenho aula amanhã e PRECISO DORMIR, eu não fico nessa vida boa de mama e dorme o dia todo, eu tenho que ralar!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

E a maioria das mamães sofre de depressão pós parto...

o que definitivamente não é meu caso, não sei se é um diagnóstico existente ou não, mas o meu caso é de euforia pós parto!



- Com três dias de vida, primeiro banho em casa dado pela vovó.

- Com 4 dias de vida.

* Com a mamãe aqui ela não terá fotos nos primeiros dias de vida, como não podia deixar de ser, tive uma reação alérgica a algum medicamento, meu rosto ficou cheio de bolinhas vermelhas, tive aftas horríveis e um herpes que me deixou com uma boca maior do que da Angelina Jolie.

* Estou melhor, mas a boca me incomoda bastante porque está realmente muito feio, chorei até. Nem beijar minha bichinha eu posso. Natinha que continua uma querida disse que beijaria por nós duas, que eu não precisava ficar triste.

* Minha pressão continua alta e tive que começar com medicação, fiquei muito mal na madrugada de segunda para terça. Pressão 17x11 que nos obrigaram a ligar para a médica. Agora tem se mantido em 15x9. Vamos aguardar mais uns dias, já que, segundo a minha médica, apesar do parto continuo em estado gravídico. Ela pediu repouso, pra eu descansar, dormir e maneirar nas visitas. Oi?! Cadê a fórmula pra isso?

- - Voltamos a qualquer momento com fotos e mais fotos de fofurice.

domingo, 19 de setembro de 2010

Eu não imaginava que podia ser ainda mais feliz

é incrível como me enganei a respeito de ser mãe de dois, ou melhor, de duas. Eu achava que era impossível amar a Andressa com a mesma intesidade que amo a Natália. Me culpava por esse sentimento, mas sentia isso o tempo todo desde que me soube grávida.
E ao ver minha bichinha pela primeira vez, toda enrugadinha, sujinha, chorando forte, assustada com tudo aquilo que estava acontecendo em volta eu não tive dúvidas de que sim, eu seria capaz de amá-la, eu já a amava tanto quanto amo a minha primeira filha. Aliás, impossível não ver a Natália naquele rostinho pequeninho, não viver novamente aquela emoção do nascimento da Nati.
Eu já me sentia privilegiada pela vida que tenho, pelos caminhos que escolhi, eu já era suficientemente feliz e sabia disso, mas naquele instante em que ela nasceu eu soube que a vida ainda me reservava uma felicidade maior ainda.
Eu olho pra elas e ainda não acredito.

sábado, 18 de setembro de 2010

E eu estreei nesse mundo,


bem lindona, pra felicidade do papai, mamãe e da minha mana Natália
Nasci no dia 16 de setembro de 2010, às 09:13 am, no Hospital Regina em Novo Hamburgo/RS, com apgar 10 e 10, pesando 3.185 gr, medindo 48 cm.
A obstera da mamãe foi a Doutora Ana Carolina Buller e minha pediatra foi a Doutora Katia Ziles.
Quando eu crescer vou brigar muito com minha mãe por esta foto nada glamourosa que ela coloca no blog!