domingo, 26 de agosto de 2012

Hoje eu só quero que o dia termine bem....

Nem sempre dá pra ser só feliz. A gente luta, tenta fazer tudo certo. Corre atrás. Afinal, pra que tanto sacrifício? Pra ser feliz, oras.

A gente escolhe casar com o melhor namorado, pensamos muito antes de optar pelo curso da faculdade. A melhor hora de ser mãe. Se dedica horas e horas ao trabalho. Pesa, pondera, tem certeza, muda de idéia. Pra que? Para ser feliz. No fim das contas é o que conta. É sim o que importa.

Mas não dá. Mesmo tentando fazer tudo certo a gente erra. Escolhemos errado, pesamos a mão, erramos a medida, não sabemos a ora exata de falar. Perdemos a oportunidade de calar.

Eu estou no meio de um turbilhão. E tenho lutado tanto pra fazer tudo certo. Tenho pisado em tantos ovos, engolido tantos sapos. Tenho calado e feito calar.

Tem um ano que vivi um dos piores pesadelos da minha vida. Deprimi muito, lutei com alguns fantasmas, chorei tantas lágrimas, ali, escondida no canto (porque eu sou durona!) que nem sabia que era capaz de produzir. Tive um medo tão grande que nem sabia que existia, e uma tristeza tão profunda que parecia que nunca ia passar.

Mas eu lutei. Me policiei pra não pensar mais, para não lembrar, para não me vitimizar mais. Tentei controlar o meu medo e a cada dia que passa os fantasmas tem me assombrado menos. E eu estou feliz.

Mas aí as coisas acontecem. As coisas nos atropelam. Situação que acreditamos poder controlar fogem totalmente ao nosso controle e como num passe de mágica se instala o caos.

Eu sei que passa. Que tudo passa.

Sou aquela que sempre esquece as coisas ruins... Vai passar. Mas dói. Dói de apertar o peito, de sufocar. Não ser compreendida, ser mal interpretada e excluída não são sentimentos que consigo administrar com facilidade.

Se sentir sempre responsável é um peso grande demais pra mim. Eu já trabalhei minhas limitações todas. Os meus erros em tomar pra mim. Em me sentir cobrada. Mas de vez em quando os ciclos se repetem e eu estou lá sentindo tudo de novo (e percebam, eu disse EU! Não consigo, neste momento, ter o distanciamento necessário para saber se estão me cobrando também, sei que eu estou me cobrando e muito). E parece que não vai passar.

Tomar partido é natural do ser humano. Mas porque será que nunca tomam o meu partido? Porque eu sou forte? Porque eu não estou sozinha? E alguém para pra pensar que mesmo quem é forte sofre? Que as pessoas usam as máscaras que tem justamente pra se proteger da dor... E que mesmo tendo quem te faça um curativo a dor da ferida permanece...

E entre quem se ama precisa ter lados? Os objetivos deveriam ser sempre os mesmos... É, mas muita coisa deveria ter sido diferente.

Tinha tudo pra dar certo.

Sim, quando eu fiz as escolhas, lá atrás, foi tentando acertar. Foi tentando fazer o melhor. Quando eu tinha o poder de fazer diferente escolhi errado.

Agora vou colher o que plantei. Preciso aprender a calar.

Preciso mais que nunca aprender a calar. Preciso muito mesmo aprender a me recolher.

Tenho tanto medo dessa vontade que sinto de não me relacionar mais com o mundo. De me fechar.

Hoje eu só queria chegar em casa e não precisar sair daqui nunca mais.

Um comentário:

Mi disse...

Minha flor!!!! Não fique triste nunquinha na sua vida!! Pense em tudo que já conquistou, a família linda que formou, em todo amor que vcs sentem uns pelos outros!!! Força!! Deus só coloca empecilhos, que conseguimos superar!! Um beijo no coração!!