quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Ainda estou muito triste

já me desesperei, passei dois dias sem comer nada, já chorei litros de lágrimas, já tive tanta raiva que esmurrei uma parede por uns dois minutos, já me tranquei em casa e não quis sair nunca mais,ando na rua e me assusto com qualquer pessoa que chegue perto demais de mim e agora estou triste, mas triste de verdade.

Não fui arrumar o cabelo, nem fazer as unhas, nem me animo para me arrumar para ir trabalhar.

Uma sensação de - por que comigo Deus? - eu não merecia, nunca fiz mal pra ninguém - por que minhas filhas tinham que passar por isso? -  por que com a gente?

Mas ninguém merece. Se eu tivesse inimigos, nem a eles desejaria o que passamos.

Temos pensando muito no que fazer e como fazer, mas sabemos que não é hora de tomar grandes decisões. A única certeza que tenho é de que não vou sair da minha casa, lutamos muito pra conseguir construir cada pedacinho do que tem aqui, acompanhei a colocação de cada tijolo, cada telha. E nada do que tem aqui caiu do céu, é fruto do trabalho meu e do marido. Não posso permitir que eles nos tirem isso também, eles já nos tiraram muito. Não vou ser feliz vendo minhas filhas crescerem trancadas em um apartamento. Eu preciso de sol, eu preciso de espaço.

Obrigada mesmo, por tanto carinho, tantas vibrações positivas, orações e a torcida pela gente.

Sintam-se cada um de vocês abraçados e beijados.

Nunca vou ter como agradecer tanto carinho, da minha família, da família do marido, de alguns amigos e de cada um de vocês que me acompanham por aqui.

E um agradecimento especial a minha amiga Indi, que chegou aqui quase antes da polícia, me emprestou o micro pessoal dela para eu poder trabalhar e ainda me deixou copiar TODOS os modelos dela de petições. Nesse mundo egoísta e esquisito que vivemos hoje, ter alguém como ela por perto é um presente. E não é atoa que Natinha ama ela de paixão.

Porque amigo pra rir e fazer festa a gente tem um monte, mas pra pegar junto na hora que a vida da gente tá uma merda é raro viu.

9 comentários:

Eu e minhas três bonecas... disse...

Meu Deus querida, que barra! Agora que li o que aconteceu! Estava sem notebook desde segunda passada! Que horror!!!!
Ontem aconteceu um assalto aqui em Criciúma, foi terrível também, que medo. Como eles entraram? Também moro em casa, em menos de um mês que eu morava aqui pularam o muro, para entrar, mas era um drogado bem louco e não entrou na casa, só no pátio e eu que dei um corridão nele (que louca!)
Fiquem bem!
Um beijo,
Gabi

Cris disse...

Querida! Li tudo ontem e nem sabia o que te dizer, fiquei assustada por ti, e imagino a sensação de devastação que eles causaram.
Bom, graças ao bom Deus, só levaram coisas materiais, o que realmente importa continua com você.
Mas eu imagino como vc ainda se sente, e como é dificil p nós aceitarmos que nos levem (as coisas materias, agora) coisas que nós sabemos que foi tao ralado com o suor de trabalho árduo, trabalho esse que às vezes no tira até tempo de lazer com nossos amores maiores, os filhos, marido, familia. Eu fui assaltada uma única vez até hoje, estavámos entrando em casa, e meu marido colocou o carro em cima da calçada p tirarmos as crianças, pois era tarde, e peguei minha bolsa p procurar a chave -esse foi meu erro- e chegou o assaltante e pôs a arma na cintura do meu marido e as crianças viram tudo. O cara tava tao doido que meu marido entregava a chave do carro p ele e ele só pedia a minha bolsa, demos a bolsa e ele n pegava seguia pedindo. Até que se deu conta, pegou e foi embora. Na bolsa tinham 700 reais recem sacados, uma maquina nova fotográfica e todas as lembrancas feitas pelas crianças de dia dos pais. Estavamos na homenagem de dia dos pais.
Bom, resumindo a ópera, o prejuizo foi pouco, mas o trauma foi imenso, devastador, as crianças nunca mais esqueceram, até hoje descem rapido do carro, ficaram com esse "dispositivo" pós-trauma. Aff, isso sim, é triste, é perceber que em fração de segundos, um sujeito veio e tirou a inocência deles, que estariam protegidos sempre. Mas, é o mundo em que vivemos, infelizmente, só temos a agradecer que esses covardes só levaram aquilo que podemos, trabalhando, adquirir de novo.

Um beijo,
Se cuidem!

Cris - Mae de 3.

JULIANA disse...

Andrea,

Leio seu blog desde o ano passado mas acho que nunca deixei comentário.
Passei por um assalto a mão armada, mas sem dúvida nem chegou perto da sensação que vc viveu vendo quem você ama sob a mira de um desajustado que ainda por cima está dentro do nosso espaço sagrado.
Essa sensação ruim ainda vai ficar por um tempo mas vai diminuir. Acho que para recolocar a vida nos eixos vai demandar muito esforço, mas tu é guerreira e vai conseguir.
Como a Gabi disse ali em cima, tente pensar em como eles entraram e ver que fragilidades de segurança a casa tem para minimizar a sensação de vulnerabilidade. Ontem mesmo aqui na TV (programa local - Brasilia) um especialista em segurança tava dando altas dicas para o caso de condominios. Na página da Globo.com (DFTV) deve ter a matéria on line.... acho que é um começo... Abraços muito especiais.

Nathi disse...

"Amigos se faz em tempos de paz, mas na angústia é que se prova o seu valor."
Beijos*

Indianara disse...

Minha amada Deia..to emocionada aqui lendo o que você escreveu de mim, qualquer coisa que eu faça é pouco diante do bem que tu e tua família fazem pra mim! Amo vocês, e contem sempre comigo... Indi.

ditavonclaire disse...

eu cuido as gurias, se tu quiser e ou precisar resolver alguma coisa. tô falando bem sério. é só me chamar.

Cris Bomfim disse...

Andrea, uma coisa por vez. Tudo vai se ajeitar. A esperança não pode morrer, a Nati está vivendo tudo isso também e a Andressa sentindo, força, é difícil sim, mas coragem, sabedoria e força.Tô rezando e mandando vibrações positivas para desanuviar a cabeça de Vocês desse terrível pesadelo-acontecimento...
Um abraço bem forte.

Tathyana disse...

Amiga, estou sempre aqui mandando pensamentos positivos pra vcs. Superação!!! Força!!! União!!!! Tudo vai ficar bem. Bjssssssssssss

Wlady disse...

Andrea, deve ser muito, muito dificil, mas se esforce, levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima- sua filhinha mais velha com certeza está precisando de você bem.
abraço apertado e bjk