quinta-feira, 18 de agosto de 2011

e algumas pessoas perguntam como estamos...

e fico sem saber o que falar, de verdade.

não posso dizer que estamos bem, porque seria uma mentira muito descarada. ninguém fica bem depois de passar pelo que passamos.

duas semanas hoje.

acordar e já ligar a televisão para ver as câmeras, para confirmar se a empresa de segurança chegou, não é das coisas mais agradáveis do meu dia.

andar em um carro que não é meu (deus abençoe a minha amada mãe que nos emprestou o carro dela direto e nem nos pergunta quando vamos devolver), usar um computador sem meus arquivos, ter medo de entrar e sair de casa, me sentir invadida com aquele homem armado na porta de casa definitivamente não é meu ideal de vida.

sabe, eu sempre acreditei que coisas ruins só aconteciam com pessoas ruins, e o que passamos foi muito, muito ruim, sem que eu encontre um porque disso tudo comigo. é, talvez eu esteja com pena de mim mesma. talvez.

sei que as pessoas me falam: ah andrea, mas vocês estão bem e isso que importa. é claro que isso é verdade, e talvez me agarrar a isso é o que me faz levantar da cama todos os dias. mas dá uma tristeza muito grande tudo isso. sofremos sim uma violência muito grande, porque, discordando do policial que me disse doutora eles não foram violentos e isso é ótimo, eu me sinto violentada, porque ter bandidos dentro da tua casa, dentro do teu quarto, em contato com tuas filhas, com uma arma apontada para o teu marido e que ainda te leva as coisas que tu levou anos e anos para adquirir é uma violência sim.

agora me digam como um carro simplesmente some no mundo? não, não estamos falando do meu relógio que cabe em qualquer cantinho, estamos falando de um carro enorme!

sim, é claro que eu tenho seguro, mas não é por isso que vou achar bom meu carro sumir. e sim, eu já ouvi isso, que foi ótimo terem roubado, porque o seguro vale mais do que o valor que iria vender o carro. quem falou que eu queria vender? compramos o carro tinha menos de um ano.

ah, e ninguém vai responder por isso né. o que esperam de nós é que a gente simplesmente agradeça por não ter levado um tiro e esqueça. até a próxima vez quando o tiro pode vir junto. é isso? me desculpe, mas ainda não dá para mim. eu não esqueço.

não fico falando. porque claro que as pessoas não querem ouvir. na primeira semana eu ouvi: deu, passou, para um pouco de pensar nisso, tu tá neurótica.

então é assim: eu sou assaltada, tenho a minha casa invadida, minha vida e de quem eu amo ameaçada, minhas coisas, que eu adorava, que eu escolhi, que ganhei em datas especiais, levadas embora e não posso nem ficar neurótica.

estamos tocando a vida que é a alternativa que temos.

é duro lidar com essa insegurança, sabe.

se eu pudesse eu ia embora desse País. para nunca mais pular de susto porque um amigo vem bater no vidro do carro para me cumprimentar.

eu queria a minha vida de volta. a minha alegria de volta.

10 comentários:

Juliana disse...

Nossa, Andreia, vi seu comentário e me preocupei... vim aqui saber o que aconteceu, e que susto!!!

NOssa amiga, nem imagino seu desespero. Vou orar pois só Deus nessas horas pra acalmar o nosso <3 Se cuida e tenta não pirar =) Bjussss

Sabrina disse...

Andrea, peça a Deus para tirar esses sentimentos do seu coração.Sei que é difícil, mas vocês vão superar.Pode ser redundante, eu sei...mas vocês vão conseguir, o tempo vai curando.
Faz 03 meses que meu pai faleceu, em um acidente de carro, onde o culpado foi outro motorista totalmente alcoolizado que invadiu a pista que meu pai trafegava e tirou a vida dele, aliás, de mais 05 pessoas...Desde então, me sinto triste, tenho saudades, mas infelizmente, não há o que fazer.Entende?Vocês passaram por um trauma, mas disso vieram várias lições...
Já já chega o aniversário de 01 aninho da Andressa...e vcs terão alegrias e mais alegrias para celebrar.Suas filhas são lindas e logo, esse pesadelo ficará longe, longe!Desculpe pelo mega comentário...espero que não tenha sido muito invasiva.Fiquem bem, e que Deus abençoe vocês!

Natália disse...

Andreea, tenho acompanhado teus relatos aqui e rezado mto por vc e sua familiia!
Fui assaltada ha alguns anos atras na rua da minha casa e ateé hj me assusto qdo alguem chega perto de mim na rua, chega a dar falta de ar! Não consigo sair a noite sozinha e estou sempre atenta á tudo e a todos... As pessoas que nao passaram por isso nao entendem, acham que é besteira. Mas só a gente sabe o que medo que a gente sentee e como dóii só de imaginar passar tudoo de novo.

Vou continuar daqui mandando boas vibrações, viiu?

Bjooo

Lane e Pedro Henrique disse...

É difícil!!!... Não tenho o que te dizer! Só o tempo mesmo para amenizar. Fiquem bem.

Tathyana disse...

Eu não passei por nada parecido em minha vida e não desejo isso a ninguém. Só espero que as coisas ruins, as lembranças fiquem cada vez mais distante de vcs. E se não conseguir segurar a onda sozinha, procure ajuda psicológica. Nem que seja algumas sessões. Vai te ajudar e muito. Bjssssssss no core.

Andrea Fregnani disse...

Andrea, desabafa mesmo, escreva qnts posts vc sentir vontade sobre o assunto, fale, fale, fale, e se Deus quiser o tempo vai acalmar o seu coração, sentir medo pela família é uma das coisa piores que existe,
bjs

Lily disse...

Andrea, fui lendo seu post e concordando com tudo. Realmente so passando por uma situacao assim pra gente ter nocao do q vc esta sentindo. Ja passei por um trauma parecido ha alguns anos e so o q posso te dizer é q passa. O tempo vai acalmar seu coracao e vc vai conseguir contar essa hist com menos rancor. Nao pq de alguma maneira dara menos importancia a td o q aconteceu, mas pq o dia a dia vai te dar mais razoes pra ser feliz e acreditar q as coisas podem melhorar. E elas vao melhorar! Daqui a pouco a Andressa completa 1 aninho e vc vai ver q apesar de td ainda tem motivos de sobra pra ser muito feliz! Forca! Essa fase vai passar! Bjs.

marcelle disse...

Ei, minha querida! Cadê aquela moça linda da foto de alguns posts atrás, onde se lia abaixo que ninguem tinha roubado a sua coragem? Vamos lá, minha amiga. Vamos vencer isso! Vamos ensinar pra suas filhas que a vida tem dessas, mas que o bem tem que vencer o mal. Vamos aprender junto com elas essa mesma lição. Vamos em frente, minha querida. Ainda é tudo muito recente, é absolutamente normal que vc sinta tudo isso. Já te disse, fale, fale, fale incansavelmente sobre isso até esgotar. Coloque suas mágoas pra fora, a gente tá aqui pra te ouvir (pra te ler, no caso.. rsrs) A sua vida vai caminhar para outros momentos de felicidade, e essas dores vão ficando para trás. Não deixe aquela moça cheia de coragem morrer. Você pode.

Janynne disse...

Andreia acho que vc tem todo o direito de ficar nervosa. Poxa isso não é uma coisa normal que se aconteça. Acho que ficaria do mesmo jeito que vc.
O que nos cabe é pedir a Deus, pra acalmar nosso coração e nos dar força pra viver e estar sempre ao lado dos nosso pequenos que são nossa fonte de vida.
beijos no coração.

Baby Cebolinha (mamãe Menta) disse...

Nossa, passei tanto tempo longe da blogosfera que nem sabia o que tinha acontecido, que ter´rivel, que violência medonha! Eu também me sentiria invadida, violentada. Espero que vcs fiquem bem. beijos