terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

BIRADS

Eu sou durona sabe. Não é qualquer coisinha que me derruba. Costumo dizer que eu sou forte pra CARALHO. É bem provável que você nunca veja eu me lamentando da vida (além do blog, é claro, que aqui eu posso), com pena de mim mesma, ou tendo pensamentos negativos, ou melhor, verbalizando estes pensamentos negativos. Porque sim, eu os tenho e por muitas e muitas vezes.
Mas não falo, não demonstro, não sei me mostrar frágil, com medo ou insegura. Eu sou forte pra CARALHO e pronto.

A verdade é que eu estava apavorada. Mesmo. Minha avó materna ter falecido de câncer aos 54 anos e minha mãe ter precisado tirar útero, trompas, ovário e metade de um seio, antes dos 45 anos de idade tornam a tua situação bem crítica quando um exame acusa uma anormalidade. Foram dias de desespero e o pior, sem contar pra ninguém. Segurar as coisas sozinha não me faz alguém melhor, muito pelo contrário, apenas me dá uma sensação de ter a situação sob controle e fico longe da piedade das pessoas. Além é claro, de proteger quem eu amo de um sofrimento desnecessário.

Uma vez me disseram que eu só parecia forte, que no fundo passo a sensação de que se alguém encostar eu desmorono. E esta pessoa talvez tivesse razão, por via das dúvidas eu não deixo ninguém encostar. Tenho pânico de desmoronar.

Mas acaba que o que eu queria dizer era apenas BENIGNO. Pronto, acabou. Exame de 6 em 6 meses pra observar e tocar a vida adiante.

E finalmente 2008 começou. Já não era sem tempo.

4 comentários:

Mari disse...

Graças a Deus por isso!!!! Fico mto feliz q tenha sido apenas um susto (msm q grande). Quanto a sua força. Na verdade todos nós somos barro... Só q no seu caso vc jah deve serum vaso pronto. Resistente a quedas. Mas quebrável como todos os outros... Continue escrevendo. Adoro te ler :) !!!!

Marcelle disse...

Que bom,querida, que isso não passou de um pesadelo! Seja bem vinda de volta à vida real! beijos

Mari.............. disse...

Hummmm não vai escrever mais não, eh??

:(

Andrea Nunes disse...

marcelle, obrigada, obrigada... bom saber que tu anda por aqui ainda. Tá boa?

mari, vou sim, eu sou viciada em escrever queridona, mas tem dias que faltam horas e outros que falta inspiração...

beijocas