sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Mundo cão...

Estou triste, muito triste.

Não lembro de ter passado outro Natal assim, com esse nó na garganta, me forçando a sorrir, a brindar, a participar de todos os rituais que a data pede. Se não fosse pela Natinha acho que não teria "comemorado" Natal, nem tampouco meu aniversário.

O Matheus se foi. Seu corpinho frágil não resistiu aos ferimentos causados pelo acidente de trânsito que sofreu. Foi amparado no céu pelo seu avô e sua avó, que partiram neste mesmo acidente, um pouco antes, sem lutar tanto, sem resistir tanto. Será que por já terem vivido? Será que o pequeno Matheus, que a poucos dias se divertia na festinha da Nati já tinha cumprido sua missão aqui? Não me conformo com isso, ele tinha uam vida inteirinha pela frente. Ele lutou, tentou viver, mas não conseguiu.

Numa situação assim tu se questiona tanto e tanto e tanto. Acredito em Deus (não naquele da biblia), num Deus meu, fruto das minhas convicções. Mas me pergunto, onde Deus está nessa hora? Hein? Levar um anjinho cheio de vida, lhe tirar a vida, os sonhos, os desejos? Assim, do nada. Antes do Natal? E a cartinha que ele enviou pro Papai Noel? E aquele presente já escolhido pelos pais, pelos avós, pelos amigos? O que fazer com eles? E toda ansiedade do primeiro ano da escola? Do aprender a ler?

Como Deus, tu tiras de uma mãe o seu único filho? Assim, do nada. Porque o Matheus não estava doente, o Matheus era um menino cheio de saúde e de vida. Fatalidade? Era a hora? Missão cumprida? A gente fica procurando uma resposta, um motivo, um consolo. E não existe resposta, existe apenas o silêncio. Um silêncio gelado que nos corta a alma.

E num ato de amor, esses pais ainda conseguiram pensar no próximo e doaram os órgãos. O Matheus, anjinho, fez mais algumas pessoas sorrirem, mesmo depois de já ter nos deixado.

3 comentários:

Wlady disse...

Oi Andrea,
Eu gostaria de ter passado antes por aqui para desejar a vc e a sua família que 2009 seja repleto de saúde, paz, alegria, prosperidade, e muitas outras coisas boas. Fiquei muito triste com sua postagem, lágrimas rolaram...
Ainda não consigo lidar muito bem com a morte, principalmente quando se trata de criança.
bjhos!

Graziele Mello disse...

Oláaa
dei uma atualizada no meu blog... tem algumas novidades...
passa lá e dá uma olhadinha nas minhas novas artes!!

Andrea Nunes disse...

Wlady, eu imagino o quanto ainda esteja doendo. A morte é algo dolorido demais, por mais que a gente saiba que ela chegará para todos, nunca a aceitamos, não adianta.