quinta-feira, 22 de outubro de 2009

E vai começar a loucura...

e eu jurei pra mim mesma que não, esse ano não vou passar as festas de final de ano estressada.

e como já começaram as "negociações" sobre como serão as festas desse ano na minha grande família, me vi obrigada, entre um email e outro, uma audiência, um telefonema e outro e muita poeira de cimento e de terra da obra, a dedicar um pouco dos meus pensamentos loiros sobre o porque de uma coisa que é pra ser boa virar uma chateação e um fardo.

e pensei, ponderei e sabe que to quase certa de que a "obrigação" é que fod.., ops, estraga tudo (que eu sou um moça de família e não posso falar palavrão), e nessa família é assim, todo mundo é "obrigado a" para satisfazer o projeto ideal do outro de "família feliz"

sim, esse ano quero que o Natal seja na minha casa, quero organizar e cuidar com muito carinho dos mínimos detalhes dessa festa e queria sim poder reunir todos os meus familiares e amigos queridos aqui,

mas que os que aqui aceitassem passar essa data viessem por vontade e não por uma obrigação de estarem juntos enquanto família que são.


agora voltamos a nossa programação normal:

EU NÃO AGUENTO MAIS ESSA OBRA!

o cara que vai trocar o poste de luz promete vir às 8:30, chega às 10:30 (eu já tinha ligado duas vezes), fica 15 minutos e diz que volta às 13:30, chega às 14:10 (depois de eu ter ligado uma vez) e dá duas "pazadas" (ui, que isso eu inventei né) e fura o cano da água, aquele que fica antes do registro, corre pra fechar o registro que não funciona e jorra água pra todo lado e ele parado olhando...
liga pro semae e quase choro pro pedreiro me salvar;
dois pedreiros trabalhando na merd@ (ui) do outro por 40 minutos, problema parcialmente resolvido o cara volta a cavar e quebra a pá (a das "pazadas), que claro não era dele, porque ele esqueceu de trazer, era dos meus pedreiros...

é mole?

Um comentário:

Ana disse...

Essa loucura aí que vc fala também me atinge.
Todo ano e em toda família parece que é igual.
Ainda bem que no final dá tudo certo.

Beijos. Não estou com reformas/obras, mas ando bem atribulada também.